Markus Schreiber/AP
Markus Schreiber/AP

Kipchoge vence Maratona de Berlim e quebra recorde mundial da prova

Queniano corre em ritmo bastante forte e termina em 2h01m39s, um minuto mais rápido que marca anterior

Estadão Conteúdo

16 Setembro 2018 | 11h02

O fundista queniano Eliud Kipchoge venceu a Maratona de Berlim, realizada neste domingo, e quebrou o recorde mundial da competição. O tempo do competidor foi de 2h1min39s. Entre as mulheres, a vencedora foi a também queniana Gladys Cherono, com a marca de 2h18min11s.

"Minha única palavra é 'obrigado!'", disse Kipchoge logo depois de cruzar a linha de chegada. O atleta conseguiu desgarrar do pelotão de líderes antes da primeira hora de corrida e manteve um ritmo forte até o fim.

"Foi difícil correr sozinho, mas tinha confiança, disse que ia correr minha própria prova, seguindo meu plano, e tinha confiança", explicou o queniano, novo recordista mundial da maratona.

Também do Quênia, Amos Kipruto ficou em segundo lugar na prova deste domingo, enquanto Wilson Kipsang foi o terceiro. As competidores Ruti Aga e Tirunesh Dibaba, ambas da Etiópia, ficaram em segundo e terceiro lugares, respectivamente, na prova feminina.

Kipchoge superou a marca do queniano Dennis Kimetto, o recordista mundial anterior, que terminou a Maratona de Berlim em 2h02min57, na edição de 2014. Kipchoge, aos 33 anos, já havia vencido a prova na capital alemã, em 2015 e 2017, e acumula três medalhas de ouro olímpicas - ouro em 2016, na maratona, prata em 2008, na prova de 5 mil metros, e bronze em 2004, também nos 5 mil metros.

 

 

Mais conteúdo sobre:
atletismomaratonaEliud Kipchoge

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.