Divulgação
Divulgação

Kitesurfer brasileira diz que desafio nos Lençóis é 'muito mais difícil'

Bruna Kajiya se diz empolgada em participar da competição Rally dos Ventos e afirma que ineditismo deixa disputa mais aberta

Igor Ferraz, O Estado de S. Paulo

11 de setembro de 2014 | 15h20

No próximo sábado (14), o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses receberá um evento em formato inédito nos esportes radicais. O Red Bull Rally dos Ventos será uma competição de Kite Surf que mescla trechos de areia e de água na bela paisagem do cartão postal do estado. Os atletas serão desafiados a percorrer um trecho de 16 km sob o forte calor do deserto mais úmido do planeta.

Vence a competição quem percorrer o trajeto em menos tempo. A estratégia será fundamental na escolha do caminho a ser feito, pois a parte de dunas - que podem chegar a 10 metros de altura - exige muito mais fisicamente dos atletas. Cabe a eles explorar da melhor forma as piscinas naturais, que representa pouco mais da metade do percurso.

O evento reunirá os melhores kitesurfers do mundo. A americana Susi Mai, a atual líder feminina do ranking mundial, Annelous Lammertz, e a francesa Marie Desandre, vice-campeã mundial de kite speed estão confirmadas. Além da brasileira Bruna Kajiya, campeã mundial da categoria freestyle em 2009, que falou sobre a expectativa para a diferente competição.

"Estou super empolgada em participar, o lugar é lindo e único. Por ser um formato inédito, é mais legal porque não tem favoritos. Tudo pode acontecer", afirma. Bruna também se mostra confiante em um bom resultado. "Trabalhamos bem na estratégia. Acho que tenho chances de fazer uma boa prova."

Especialista na categoria freestyle, Bruna conta como se preparou para o evento. "Fizemos ajustes no equipamento e nas estratégias. Como o calendário é apertado e minha prioridade é o Mundial, não tive como mudar a rotina de treinos, mas fizemos preparativos." A largada será de uma grande lagoa no meio do Parque dos Lençóis e a chegada será na Lagoa das Andorinhas.

Bruna ainda fala sobre a dificuldade de velejar em superfícies como as dunas. "É muito diferente. Também já competi na neve e no sal e digo que é muito mais difícil do que na água. Nesses casos, desgastamos muito os músculos posteriores pois temos que fazer muita força contra a superfície para manter o equilíbrio e a estabilidade."

Entre os homens, estarão presentes o francês Alex Caizergues, três vezes campeão mundial de kite speed e atual detentor do recorde de velocidade e os brasileiros Wilson Veloso, tetracampeão brasileiro e bicampeão mundial Master de kiteracing; e Roberto Veiga, um dos kitesurfers mais bem ranqueados do mundo.

Com 155 mil hectares, o parque abrange os municípios de Barreirinhas, Santo Amaro e Primeira Cruz. Fundado em junho de 1981 e composto de áreas de restinga, dunas e costa oceânica, o local é considerado um dos mais exóticos do mundo e é um dos destinos mais procurados por turistas no Brasil. A competição terá início às 10h deste sábado.

Tudo o que sabemos sobre:
KitesurfKitesurfeBruna Kajiya

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.