Kléber, a um passo do adeus

Santos espera negociar o atleta até domingo, quando se fecha o mercado europeu

Sanches Filho, O Estadao de S.Paulo

28 de agosto de 2008 | 00h00

Kléber ainda era jogador do Santos ontem à noite, mas, até domingo, quando termina o prazo para transferências internacionais de jogadores, há grande possibilidade de ser negociado. Seu pai e procurador, Jordão Correa, desmentiu no fim da tarde que os direitos federativos do lateral teriam sido vendidos por 3 milhões (R$ 7 milhões) ao Hamburgo, da Alemanha, como foi especulado pela manhã."Conversei com Kléber na hora do almoço e ele não está sabendo de nenhuma negociação", afirmou Jordão. "Acho que, se houvesse alguma coisa de concreto, Figer (Juan Figer, empresário de Kléber) já teria telefonado." Figer está na Europa e seu último telefonema para o pai de Kléber foi no domingo. Dirigentes do Santos que se reuniram com o presidente Marcelo Teixeira, na terça-feira e ontem, asseguraram que a informação não tem fundamento.O Santos sonha com a venda de Kléber para recuperar o investimento de 2,5 milhões (R$ 6 milhões) ao comprá-lo do Basel, da Suíça. A saída do lateral, que tem um dos maiores salários na Vila, representaria economia também na folha de pagamento, num momento em que o clube está endividado.Kléber foi cedido ao Santos por um ano por 1 milhão (R$ 2,4 milhões), em setembro de 2005. Em 2007, o clube pagou em parcelas mais 1,5 milhão (R$ 3,6 milhões). Mas, depois de duas temporadas eficientes,sob o comando de Vanderlei Luxemburgo, 2008 não tem sido bom para o jogador. No início do ano, atuou pouco, por causa de uma contusão. Operado, até hoje não voltou à antiga forma. Sua esperança é ser contratado por um clube europeu e sair do furacão santista. MAIKON OPERADOA operação no joelho direito de Maikon Leite, ontem, foi considerada perfeita pelo médico do Santos, Carlos Braga. "Tudo foi reconstruído e estamos felizes", disse. O jogador sofreu rompimentos dos três ligamentos do joelho num choque com o goleiro Bruno, do Flamengo, no dia 17. A previsão é de que só volte a jogar em um ano.Adriano, também operado, volta a treinar em duas semanas. O volante é a nova aposta da diretoria santista, que antecipou a renovação de seu contrato - vai até 2013 -, com bom reajuste e uma multa pesada por rescisão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.