Kléber Pereira reclama de 'muita brincadeira'

O Santos fez a primeira parte da lição de casa, ao derrotar o Sandro André, e agora fica na dependência de outra vitória em casa, domingo, contra o Botafogo, para se aproximar de vez do G-4. Mas nem tudo foi festa na recuperação santista, que vinha da derrota de virada contra o Corinthians. Kléber Pereira saiu reclamando do individualismo de alguns companheiros, em clara referência a Neymar. "A vitória foi importante, mas precisamos deixar de frescura. Time que quer vaga na Libertadores não pode ficar com tanta frescura. Isso é Campeonato Brasileiro e por isso não se pode brincar", esbravejou.

Sanches Filho, SANTOS, O Estadao de S.Paulo

14 de setembro de 2009 | 00h00

Ontem, o gol foi de Germano, mas o centroavante se colocou bem inúmeras vezes para receber a bola e finalizar, porém Neymar ou procurava enfeitar a jogada ou tentava o gol.

Neymar não concordou com a reclamação do companheiro de ataque. "O que houve foi criatividade e não firula", defendeu-se. Vanderlei Luxemburgo também viu excesso de preciosismo em alguns lances de Neymar. Mas o técnico também não aprovou o comportamento de Kléber Pereira. "Esse tipo de reclamação o Kléber tem de fazer internamente. Ele fez igual ao Marcão, que sai atropelando e joga um caminhão de melancia para dentro do vestiário", comparou, referindo-se ao goleiro do Palmeiras.

Luxemburgo afirmou que gostou da vitória, mas do jogo, não. "Tecnicamente, foi ruim", reconheceu. Ele explicou que em razão da ausência de Paulo Henrique (está na seleção brasileira sub-20), foi obrigado a usar uma formação de emergência. "Mas isso não quer dizer que nos próximos jogos vou voltar a escalar três volantes e três atacantes", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.