Kobayashi e Perez dão novo alento para a Sauber

Desta vez os integrantes sempre comedidos da equipe suíça Sauber deixaram as emoções fluírem, ontem no paddock. Celebraram à la latinos o excelente resultado. Kamui Kobayashi, autor de ótima corrida, terminou o GP da Alemanha em 4.º, a melhor colocação na carreira, após largar em 12.º, e seu companheiro na Sauber, Sergio Perez, em 6.º, mesmo saindo em 17.º.

HOCKENHEIM, O Estado de S.Paulo

23 de julho de 2012 | 03h06

Peter Sauber e sua sócia e diretora do time, Monisha Kaltenborn, comemoraram, mas principalmente pensaram no que isso representa para o orçamento da escuderia em 2013. A cota de participação dos times no arrecadado por Bernie Ecclestone varia de acordo com a colocação no Mundial de Construtores. "Não exploramos nosso real potencial nas duas provas anteriores e não fomos bem na classificação. Mas hoje (ontem), no seco, o carro era muito rápido e nossa estratégia funcionou", disse Kobayashi.

É provável que o japonês ganhe um fôlego na Sauber. Diante de marcar só 2 pontos nas quatro etapas anteriores e atropelar os mecânicos em um pit stop em Silverstone, pilotos sem carro se ofereceram a Peter Sauber, como Adrian Sutil e Jaime Alguersuari, para substituí-lo em 2013.

Kobayashi e Perez exploraram a melhor característica do modelo C31-Ferrari: a preservação dos pneus. O japonês completou 22 voltas com os médios, no início, e o mexicano, 17, com os macios. "Ter sido o último a fazer o primeiro pit stop foi decisivo para Kamui avançar na classificação da corrida", disse o chefe dos engenheiros, Gianpaolo Dall'ara. Já Perez teve de antecipar um pouco a parada.

Apesar de o traçado na próxima etapa, na Hungria, sugerir não ser o ideal para o carro da Sauber, costuma fazer muito calor em Budapeste. E, diante da capacidade de o modelo C31 administrar o consumo dos pneus Pirelli, Kobayashi e Perez podem surpreender novamente.

A Williams já se insinuava na luta pelo 6.º lugar entre os construtores com a Sauber. Mas ontem, além de Pastor Maldonado e Bruno Senna, da Williams, não somarem pontos, a equipe suíça fez 20. Assim, ganhou certa folga nessa luta que vale cerca de 15 milhões (R$ 40 milhões)./ L.O.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.