Lamour retira candidatura à presidência da Wada

Australiano John Fahey deve assumir presidência da Agência Mundial Antidoping

16 de outubro de 2007 | 17h36

Depois de deixar a vice-presidência da Agência Mundial Antidoping (Wada) para se candidatar-se à presidência da mesma, o francês Jean-Francois Lamour optou por retirar sua candidatura, nesta terça-feira.   De acordo com o ex-ministro dos esportes da França, a decisão deve-se à candidatura do australiano John Fahey, que fica como chapa única para a eleição que acontece no dia 17 de novembro. Irritado, Lamour disse não acreditar mais na autenticidade da Wada: "Não quero ser presidente desta agência. A Wada está desacreditada".   Além disso, Lamour propôs que o continente europeu crie sua própria agência de controle e, claro, ficando sob seu controle. "A Wada não é mais capaz de resistir as intrigas que existem nela", disse o dirigente francês.   Já o atual presidente da Wada, Dick Pound, acredita que a verdadeira razão pela retirada da candidatura de Lamour deve-se à concorrência do australiano John Fahey. Para Pound, o dirigente francês não estava preparado para ter concorrência.   John Fahey entrou com força na eleição, já que conta com os apoios dos Estados Unidos, África do Sul, Nova Zelândia e Austrália, deixando claro que a Europa perderia representatividade dentro da agência.

Tudo o que sabemos sobre:
WadaOlimpíadasPequim 2008

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.