Lateral checo driblou os pais para jogar bola

Theodor Selassie é filho de mãe professora e pai médico

O Estado de S.Paulo

16 de junho de 2012 | 03h04

Theodor Gebre Selassie é o primeiro jogador negro da história da seleção checa. Filho de mãe professora e pai médico, vindo da Etiópia, sofreu muita pressão para deixar a bola de futebol de lado e se concentrar nos livros de Direito Civil. Ficou um ano na faculdade, mas acabou contrariando o desejo dos pais.

"Acredito que agora eles estejam um pouco mais satisfeitos", disse o lateral-direito do Liberec, de 25 anos, tricampeão da Liga Checa (2008/2009, 2009/2010 e 2011/2012), cujo desempenho na Eurocopa já despertou interesse por parte de grandes times do futebol italiano e espanhol.

"Este é um objetivo que tenha na carreira. Desta forma, eles (os pais) terão orgulho de mim daqui a alguns anos", afirmou Selassie, que possui grande velocidade e qualidade técnica, a ponto de fazer ótima assistência para o gol de Vaclav Pilar, o segundo da República Checa na vitória de virada, por 2 a 1, sobre a Grécia, na segunda rodada da Eurocopa.

"Ainda tenho muitos anos de carreira, mas garanto que retornarei à universidade para realizar o sonho de meus pais", disse o jogador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.