Lateral Rafael promete ser duro com amigo e ídolo Giggs

Na tarde desta sexta-feira (pelo horário de Brasília), o lateral-direito Rafael Silva terá uma boa oportunidade de se firmar como titular da seleção brasileira que vai disputar os Jogos Olímpicos de Londres. Se jogar bem no amistoso contra a Grã-Bretanha, em Middlesbrough, ele terá garantida a sua presença na partida contra o Egito, a primeira do Brasil na Olimpíada, na próxima quinta.

MATEUS SILVA ALVES, Agência Estado

20 de julho de 2012 | 08h03

Para Rafael, o amistoso contra os britânicos será especial também por outro motivo: do outro lado do campo estará o veterano meia galês Ryan Giggs, que o lateral brasileiro considera um amigo e um ídolo.

O lateral revelado pelo Fluminense joga no Manchester United, onde Giggs é um dos maiores ídolos da história (o galês é o recordista de partidas pelo clube), e faz questão de propagar sua admiração pelo meia. "Ele me ajudou muito quando eu cheguei ao clube. E ainda me ajuda. Sou muito grato a ele", contou Rafael,

Apesar dessa gratidão toda, ele garante que não vai dar moleza para o craque de 38 anos. Se Giggs atacar pelo lado do campo defendido pelo lateral (o que é muito provável, já que o galês é canhoto e Rafael joga pelo lado direito da defesa do Brasil), vai encarar um marcador duro.

"Não vai ter problema nenhum, em campo a gente esquece quem é amigo. Se tiver de bater nele, vou bater, se tiver de dar carrinho, vou dar, não tenho problema algum com isso", avisou Rafael.

Tudo o que sabemos sobre:
Olimpíadafutebol masculinoRafael

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.