Valentin Flauraud?EFE
Valentin Flauraud?EFE

Lavillenie fica em segundo na primeira competição após a Olimpíada

Sem vaias, francês conquistou a medalha de prata na etapa de Lausanne da Liga Diamante

Victor Rezende, Estadão Conteúdo

25 Agosto 2016 | 18h24

A prova do salto com vara na etapa de Lausanne, na Suíça, da Liga Diamante deveria ser uma comprovação de que Renaud Lavillenie estava certo sobre o Rio. O francês estava lá, assim como o medalhista de bronze da Olimpíada, o americano Sam Kendricks. A única ausência foram as vaias da tocida: enquanto a torcida brasileira vaiou Lavillenie, ao torcer por Thiago Braz, que ficou com o ouro olímpico, os suíços fizeram o silêncio pedido pelo francês no Rio. Mesmo assim, não deu certo. Novamente, Lavillenie terminou com a prata.

Campeão olímpico em Londres-2012, o saltador conseguiu resultados menos expressivos que na Olimpíada. Lavillenie parou em 5,72m, perdendo para Kendricks, que igualou a melhor marca de sua carreira, saltando 5,92m. O francês, que errou as três tentativas na marca de 5,80m, chorou após a prova.

Principal candidato ao ouro no salto com vara, Lavillenie passou fácil em diversas alturas na Olimpíada: começou somente em 5,75m e não cometeu falhas nas outras três alturas restantes. Em 6,03m, medida indicada por Thiago Braz, o francês falhou duas vezes e, ao pedir 6,08m, foi vaiado pela torcida e também falhou, terminando com a medalha de prata.

Magoado, Lavillenie disse, ao ir embora do Brasil, que, se o jamaicano Usain Bolt competisse com um brasileiro, não seria tão querido no país. As vaias ao atleta foram condenadas pelo Comitê Olímpico Internacional; mas as primeiras declarações do francês, que comparou a torcida brasileira à Alemanha nazista, foram classificadas como declarações "infelizes" pela imprensa da França.

No pódio da Liga Diamante em Lausanne, o polonês Piotr Lisek completou o pódio, ficando, também, com a medalha de prata. Ouro no Rio e recordista olímpico, Thiago Braz segue no Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.