Leandro Damião sem concorrência

Artilheiro da temporada no Brasil, com 40 gols, atacante do Internacional entra como titular no jogo com a Argentina e pode ser o herdeiro de Ronaldo

Daniel Batista / CÓRDOBA, O Estado de S.Paulo

13 de setembro de 2011 | 00h00

O jogo entre Brasil e Argentina, pelo Superclássico das Américas, apesar de todo o caráter de amistoso, para alguns jogadores é encarado como uma final de Copa do Mundo. Afinal de contas, eles terão estes dois confrontos (o primeiro amanhã, em Córdoba, e o segundo, dia 28, em Belém) para mostrar ao técnico Mano Menezes que podem ganhar uma chance também na seleção principal, aquela onde o treinador tem todos os jogadores à disposição e não só os que atuam no Brasil. Por enquanto, Leandro Damião não tem concorrente pela camisa 9.

O atacante do Internacional tem tudo para se firmar como titular. Fred, candidato a uma vaga no ataque, se apresentou machucado e pode ser cortado ainda hoje. Bom para Damião que, aos 22 anos, já ganha muitos pontos com Mano Menezes. No último amistoso do Brasil (1 a 0 contra Gana, em Londres), ele barrou Pato e fez o gol da vitória.

Leandro Damião também é o artilheiro do ano no futebol brasileiro, com 40 gols, e no último domingo comprovou a boa fase marcando três da vitória por 3 a 0 do Inter sobre o Palmeiras, no Pacaembu. Com um cartel como este, o atacante, que há pouco tempo jogava na várzea de São Paulo, desponta como o provável herdeiro de Ronaldo na seleção brasileira.

Desde que o Fenômeno saiu de cena, a camisa 9 amarela ficou sem dono. Luís Fabiano bem que tentou herdar a vagal, mas sucumbiu na Copa de 2010.

Vagas abertas. Se a corrida pelo ataque está definida, a briga por outras posições deve agitar a seleção nessas duas semanas. Em quase todos os setores do time Mano ainda tem lacunas. Nem que seja para a reserva, como no gol, onde Julio Cesar aparece como soberano na posição, mas seus reservas ainda não estão definidos.

Na zaga, o único que parece ameaçar alguns dos "estrangeiros" é Dedé, do Vasco. Os demais foram chamados pela primeira vez por Mano Menezes.

Na lateral-direita, Daniel Alves é o dono da posição e a outra vaga ainda é de Maicon, mas a cada dia o jogador da Inter perde espaço, e dificilmente deve estar na equipe em 2014. Com isso, Danilo, do Santos, aparece como candidato. O lado esquerdo é o que parece mais indefinido. André Santos, Adriano e Marcelo foram testados, mas não caíram nas graças do treinador. Para a Argentina, Mano levou Kléber, mais experiente, e a juventude de Bruno Cortês, do Botafogo, que corre por fora nesta briga.

Do meio para frente o treinador tem um leque muito maior de opções por isso poucos jogadores parecem garantidos. Entre os volantes, Rômulo parece ser quem está mais atrás na briga. No meio, Renato Abreu deve ser aquele que apenas foi compor elenco. E no ataque, Neymar e Leandro Damião são os dois xodós do treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.