Leandro Guilheiro luta para ser o 1º judoca com 3 pódios

Bronze em Atenas e Pequim, meio-médio entra no tatame como favorito a chegar à final diante de rival coreano

WILSON BALDINI JR. , ENVIADO ESPECIAL / LONDRES, O Estado de S.Paulo

30 de julho de 2012 | 03h05

A pergunta que Leandro Guilheiro mais detestou nos últimos meses foi sobre o seu favoritismo em conquistar a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Londres. Chegou a hora de o judoca responder no tatame. Primeiro colocado na categoria dos meio-médios (até 81 quilos), Leandrinho, como é chamado pelos amigos, luta na madrugada de amanhã em busca de um feito histórico para o judô nacional: ser o primeiro atleta a subir no pódio por três vezes. Ele foi terceiro colocado em Atenas/2004 e Pequim/2008.

Na quarta-feira, Tiago Camilo também vai em busca da terceira medalha. Até agora, Leandrinho e Tiago ficam ao lado de Aurélio Miguel (ouro em 1988 e bronze em 1996), todos com duas.

Por ser o grande favorito ao primeiro lugar, ao lado do coreano Jae-Bum Kim, o brasileiro sabe que todos os seus movimentos são estudados ao extremo por todos os adversários. Na tentativa de surpreender no combate, Leandro Guilheiro aprimorou a pegada no quimono do rival e a luta de solo.

"Sei que terei poucas chances de colocar golpes durante as lutas, por isso tenho de ter uma pegada forte para poder aplicar o golpe o mais preciso possível", disse o atleta, que completa 29 anos dia 7.

Ao analisar a chave de Leandrinho, Ney Wilson, diretor técnico da equipe brasileira, considera que a primeira luta, contra Konstantins Ovchinnikovs, será muito importante para dar moral para o judoca nacional. "Trata-se de um rival com um judô nada tradicional. Chato de se enfrentar. O Leandrinho terá de ter paciência para encontrar o momento certo para aplicar seu golpe."

Para chegar à semifinal, o brasileiro ainda poderá ter de passar pelo americano Travis Stevens, tradicional rival em pan-americanos, o experiente alemão Ole Bischof e o japonês Takahiro Nakai. Se tudo der certo, aí o adversário na decisão pelo ouro será o coreano.

No feminino, Mariana Silva tentará surpreender as rivais.

Com defeito. A medalha de bronze ganha por Felipe Kitadai no sábado veio com defeito. A CBJ pediu ao COI para que uma nova seja dada ao brasileiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.