Leão: ''''Não estou aqui para ouvir a torcida''''

O Santos deixou o Morumbi sob vaias e protestos de sua torcida. O técnico Emerson Leão ignorou os gritos de "queremos jogador" e "Marcelo Teixeira, esse time é brincadeira." Ao abordar, o assunto, mostrou irritação. "Desculpa, estou aqui para analisar o jogo, e não o que acontece na arquibancada."Em seguida, o treinador lamentou a perda de Kléber e Rodrigo Souto (pouco antes do jogo, sentiu dores na panturrilha direita). "Hoje não foi o nosso dia, foi uma estréia desagradável, infeliz, em que os meninos sentiram um pouco a responsabilidade", declarou. "Não acho que o presidente precisa entrar em desespero. E sim trabalhar para atender nossas necessidades."O capitão Fábio Costa - que manteve o posto mesmo com a troca de técnico - concordou com o que ouviu das arquibancadas. "É difícil porque este é um time muito jovem", afirmou o goleiro. "A torcida tem razão em pedir mais jogadores. Ela se acostumou a ganhar títulos e agora quer ver um time melhor."No domingo, o Santos recebe o Palmeiras na Vila Belmiro. Mais do que um clássico, será o encontro de Leão com o antecessor e desafeto Vanderlei Luxemburgo. "Minha prioridade agora é recuperar os jogadores", desconversou Leão, ao falar do próximo compromisso do time. O atacante Kléber Pereira alertou: "Se a gente não ganhar do Palmeiras, a torcida não vai gostar."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.