Dimitar Dilkoff/AFP
Dimitar Dilkoff/AFP

Leclerc admite exagero ao expressar frustração em Cingapura: 'Vou calar a boca'

Jovem piloto da Ferrari ficou frustrado após terminar em segundo, atrás do companheiro Sebastian Vettel

Redação, Estadao Conteudo

26 de setembro de 2019 | 16h48

O monegasco Charles Leclerc deixou o estilo ousado de lado para assumir que exagerou durante o GP de Cingapura, no domingo passado, ao expressar no rádio da Ferrari a sua frustração depois de terminar em segundo atrás do companheiro alemão Sebastian Vettel, que conseguiu quebrar um jejum de 392 dias sem uma vitória na Fórmula 1.

"Acredito que minha reação foi bem exagerada ao que deveria ser e isso mostra que ainda tenho muito a aprender. Portanto, nessas situações, não havia absolutamente nenhuma necessidade de ter feito o que fiz", disse Leclerc, nesta quinta-feira, em Sochi. "Eu preciso me controlar mais nessas situações e apenas calar a boca, em vez de falar no rádio. Vou aprender com isso e tentar que isso não aconteça novamente".

"A equipe fez a coisa certa, não teríamos terminado nas duas primeiras colocações com outra estratégia e é isso que importa. Então, com isso, eu definitivamente tenho muito a aprender e muito a melhorar, para ter sucesso no futuro", prosseguiu o piloto.

Aos 21 anos, Leclerc admitiu que é difícil controlar os nervos. "Obviamente, no carro, é sempre muito difícil (se controlar). Há muita adrenalina. Acordo de manhã pensando em vitória, vou dormir pensando em vitória, então às vezes pode ser difícil", afirmou o monegasco, que divide o terceiro lugar no Mundial com o holandês Max Verstappen, da Red Bull. Cada um tem 200 pontos.

Leclerc previu muita dificuldade para a Ferrari em Sochi, apesar de a equipe somar três vitórias consecutivas na temporada. "Ficamos muito surpresos com nossa velocidade em Cingapura. Se será a mesma história aqui ou não, eu não sei. Definitivamente, se não tivéssemos o fim de semana de Cingapura, não chegaríamos aqui pensando que seríamos favoritos. A Mercedes sempre foi muito rápida e venceu todos os anos aqui, por isso será muito difícil vencê-los. Mas, vendo o desempenho em Cingapura, estamos um pouco mais confiantes, então vamos ver se podemos desafiá-los", afirmou.

Aliviado após encerrar um período de mais de um ano sem vitória, Vettel descartou a possibilidade de apontar a Ferrari favorita em Sochi. "Acho que, no geral, estamos definitivamente indo na direção certa, mas seria errado pensar que agora, porque vencemos as três últimas provas, podemos ganhar em qualquer lugar", comentou o alemão, quinto colocado na temporada com 194 pontos. "Acho que a Mercedes ainda está em posição de vencer todas as corridas, então são elas que devem ser vencidas e são a referência".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.