Legião brasileira brilha no título do Shakhtar

Time ucraniano, com cinco representantes nacionais, obtém conquista inédita ao bater o Werder por 2 a 1, com gols de Luiz Adriano e Jadson

, O Estadao de S.Paulo

21 de maio de 2009 | 00h00

Aspirantes a uma vaga nos clubes mais tradicionais e badalados da Europa, os brasileiros do Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, tiveram ontem um dia de estrela na decisão da Copa Uefa, em Istambul, na Turquia. Em um jogo emocionante, Luiz Adriano, Jadson, Fernandinho, Ilsinho e Willian foram os principais responsáveis pela vitória por 2 a 1 sobre o alemão Werder Bremen, em um jogo com três gols brasileiros. Confira mais informações e veja a galeria de fotos da finalO atacante Luiz Adriano abriu o placar para os ucranianos, o zagueiro Naldo empatou para o Werder ainda no primeiro tempo e o meia Jadson, na prorrogação, fez o gol que garantiu a conquista inédita para a equipe ucraniana. O brilho dos brasileiros na competição é completado com a artilharia de Vágner Love, que fez 11 gols pelo CSKA Moscou, da Rússia.Após eliminar da competição o Milan, de Kaká, Alexandre Pato e Ronaldinho Gaúcho, o Werder não resistiu ao bom entrosamento ofensivo dos brasileiros do Shakhtar. Com vários desfalques, o time alemão sentiu bastante a ausência do meia Diego, suspenso, que acompanhou a partida no banco de reservas. O confronto foi marcado por um choque de estilos, que se mostrou bastante equilibrado. A rapidez e a técnica foram as armas do Shakhtar contra o vigor físico e a forte marcação do Werder. O jogo começou com duas equipes nitidamente dispostas a não dar espaços ao adversário. Aos poucos, porém, a vocação ofensiva do time ucraniano prevaleceu e as chances começaram a surgir. As principais jogadas do Shakhtar nasciam nos pés do volante Fernandinho (ex-Atlético-PR), com atuação ofensiva, e do lateral direito Ilsinho, que deixou o São Paulo em 2007. Luiz Adriano, que havia perdido uma boa chance minutos antes, abriu o placar aos 24. O ex-atacante do Internacional foi lançado na entrada da área e, com um toque de categoria, tirou o goleiro Wiese para colocar o Shakhtar em vantagem. No Werder, a falta do ex-santista Diego minou a criatividade ofensiva da equipe. Com dificuldade de chegar ao ataque, o gol alemão veio em bola parada. Em cobrança de falta, o zagueiro Naldo, ex-Juventude, contou com a falha do goleiro para igualar o marcador. Liderada pelo batalhão ofensivo brasileiro, a equipe ucraniana teve as melhores chances até o fim da segunda etapa, quando perdeu fôlego. Com melhor condição física, os alemães levaram perigo com o atacante peruano Pizarro. Na prorrogação, o Shakhtar tomou novamente a iniciativa do jogo e foi recompensado. Aos 6 minutos, Jadson (ex-Atlético-PR) chutou de primeira dentro da área para marcar o gol que deu o título inédito para a equipe ucraniana. A conquista do Shakhtar marca a última edição em que o torneio usou o nome Copa Uefa, após 38 anos. Na próxima temporada, a segunda principal competição europeia de clubes mudará seu nome para Liga da Europa. Em vez de 40 times em 6 grupos, o torneio passará a ter 48 equipes divididas em 12. A final da primeira Liga da Europa terá como palco a cidade alemã de Hamburgo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.