AFP
AFP

Leo de Deus falha e Brasil segue sem finais nas provas olímpicas

Brasileiros seguem decepcionando no Mundial de Kazan

Estadão Conteúdo

04 de agosto de 2015 | 13h41

A natação brasileira continua muito aquém do esperado no Mundial de Kazan (Rússia). Após três dias de competições, o País segue sem conseguir classificar nenhum atleta para finais das provas olímpicas individuais. Até aqui, só chegou à final de provas de 50m nos estilos peito e borboleta e no revezamento 4x100m livre, sempre no masculino.

Nesta terça-feira, as esperanças estavam depositadas em Leonardo de Deus. Campeão dos Jogos Pan-Americanos com 1min55s01, o corintiano não estava no auge em Toronto e prometia brigar por medalhas em Kazan. Mas parou na semifinal, com 1min56s02. "É triste porque eu trabalhei bastante, achei que poderia brigar pelas medalhas. Não foi o resultado esperado", disse à SporTV.

Assim, segue a sina. Os brasileiros que ganharam ouro ou prata em Toronto decepcionam em Kazan. João de Lucca (ouro nos 200m livre), Felipe França (ouro nos 100m peito), Felipe Lima (prata nos 100m peito), Guilherme Guido (prata nos 100m costas) e Etiene Medeiros (ouro nos 100m costas) sequer chegaram às finais em Kazan. O revezamento 4x100m livre masculino, campeão no Pan, tinha expectativa de ganhar medalha no Mundial, mas terminou em quarto.

Por enquanto, o Brasil só subiu uma vez ao pódio em Kazan, com Nicholas Santos, que levou a prata nos 50m borboleta, prova em que Cesar Cielo defendia o bicampeonato. Cielo, aliás, ficou só em sexto. Felipe França está classificado para a final dos 50m peito.

OURO EM CASA

Yuliya Efimova fez a festa da torcida em Kazan e ganhou a medalha de ouro nos 100m peito, colocando larga vantagem sobre a lituana Ruta Meilutyte. A russa venceu com 1min05s66, contra 1min06s36 da jovem lituana e 1min06s42 de Alia Atkinson, da Jamaica. Ela foi a primeira nadadora da casa a subir ao pódio em Kazan.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.