Leonardo de Deus faz melhor tempo do mundo nos 200m borboleta

A tarde foi de bons resultados para a natação brasileira no Troféu Maria Lenk, na piscina do Fluminense. Leonardo de Deus fez o melhor tempo do mundo nos 200m borboleta, enquanto Felipe França chegou ao quarto lugar do ranking mundial nos 100m peito. Os dois e Felipe Lima garantiram vaga no Mundial de Kazan (Rússia), em agosto.

Estadão Conteúdo

09 de abril de 2015 | 17h49

Logo na primeira final do dia, Leonardo de Deus mostrou que está entre os grandes nadadores do País. Ao vencer os 200m borboleta com 1min55s19, fazendo o melhor tempo da carreira na prova, o atleta do Corinthians assumiu a liderança do ranking mundial neste início. Como comparação, a marca seria a sexta melhor de toda a temporada passada, o que faz dele forte candidato a medalha no Mundial de Kazan.

Kaio Márcio Almeida, que desistiu da ideia de treinar sozinho na Paraíba e assinou com o Minas Tênis Clube, ficou a dois centésimos do índice para o Mundial, com 1min56s99. Marcos Ferrari, do Pinheiros, completou o pódio, mais de três segundos depois de Leonardo de Deus.

Nos 100m peito, a concorrência, conforme esperado, foi maior. Só Felipe França destoou. Com 59s84, o corintiano foi o único a quebrar a barreira do minuto, se igualando ao quinto lugar do ranking mundial. Felipe Lima (Minas), que havia nadado a prova em 59s78 pela manhã, foi mais lento à tarde, mas garantiu a prata com 1min00s03 e a vaga em Kazan.

Felipe Lima, entretanto, terá a preferência para nadar o revezamento 4x100m medley porque fez o melhor tempo das seletivas - ele é o terceiro do mundo. Revelação de 19 anos do Pinheiros, Pedro Cardona ficou com o bronze, com 1min00s88, e mostrou potencial para brigar com os xarás Felipes pela vaga olímpica.

FEMININO - Na prova feminina de 200m borboleta, Joanna Maranhão sobrou. De volta às piscinas após desistir da aposentadoria, a agora atleta do Pinheiros venceu com 2min10s33, mas ficou a exato um segundo do índice para Kazan. Como vai à Rússia para nadar outras provas, deverá ser escalada para competir também nos 200m borboleta no Mundial.

Joanna Maranhão colocou quatro segundos e meio de folga sobre Gabriela Rocha, que faturou a prata para o Corinthians. Manuella Lyrio (Pinheiros) ficou em terceiro.

Nos 100m peito, o ouro do Maria Lenk foi para Julia Sebastian, argentina da Unisanta. Segunda colocada, Renata Sander (Minas) ficou a quase dois segundos do índice para Kazan, com 1min09s62, mas deverá ser convocada para o Mundial para fazer o trecho de nado peito no revezamento 4x100m medley. A argentina Macarena Seballos completou o pódio pelo Minas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.