Beatriz Cunha/Divulgação
Beatriz Cunha/Divulgação

Lesão de cavalo corta outro brasileiro no hipismo

Luiz Francisco de Azevedo, o Chiquinho, está fora após constatação de fratura no animal

AE, Agência Estado

30 de julho de 2012 | 10h38

A saúde dos cavalos está sendo o grande problema da delegação brasileira de hipismo que vai competir nos Jogos de Londres. Nesta segunda-feira, a Confederação Brasileira de Hipismo (CBH) comunicou o corte do conjunto formado pelo Luiz Francisco de Azevedo (o Chiquinho) e o cavalo Special por conta de uma lesão do animal.

Desta forma, a equipe de saltos do Brasil vai competir em Londres, a partir do dia 4 de agosto, sem um conjunto reserva. O time treinado por Rodrigo Pessoa - que compete com a montaria HH Rebozo - ainda terá Álvaro Affonso de Miranda Neto, o Doda, montando AD Rahmannshof?s Bogeno, Carlos Eduardo Motta Ribas, o Cacá, montando Wilexo, e José Roberto Reynoso Fernandez Filho, o Zé Roberto, montando Maestro St. Lois.

De acordo com a CBH, Chiquinho, que é o caçula de Luiz Felipe de Azevedo, medalhista de bronze nos Jogos de Atlanta e Sydney, treinava com Special no sábado, na Bélgica, quando o cavalo sofreu uma fratura no osso sesamoide medial da pata anterior esquerda.

O corte é o segundo da delegação brasileira de hipismo que iria aos Jogos de Londres. No Conjunto Completo de Equitação, Renan Guerreiro foi cortado porque o cavalo Kenny não estava 100% fisicamente para competir. Por conta disso, a equipe brasileira do CCE complete com apenas quatro conjuntos, um a menos que o permitido, tendo direito a um e não dois descartes, como os demais times.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.