Lesão na coxa impede o ''Rafa Slam'' de Nadal

Número 1 perde a chance de conquistar quatro Grand Slams seguidos ao cair no Australian Open diante de David Ferrer

, O Estado de S.Paulo

27 de janeiro de 2011 | 00h00

MELBOURNE

O sonho do "Rafa Slam" - como estava sendo chamada a possível conquista dos quatro Grand Slams seguidos de Rafael Nadal - terminou logo no segundo game do jogo contra o compatriota David Ferrer, ontem pelas quartas de final do Australian Open. O número 1 do mundo sentiu lesão muscular na coxa esquerda que prejudicou sua movimentação e minou suas chances de vencer. Perdeu por 6/4, 6/2 e 6/3.

Foram 2h33 de um triste espetáculo para seus fãs. Mesmo com muitas dores, Nadal se negou a desistir e repetir a saída do Australian Open do ano passado - com problemas no joelho, abandonou duelo com Andy Murray no terceiro set. Ato de respeito aos torcedores e, principalmente, ao inspiradíssimo amigo Ferrer. "Simplesmente odeio abandonos. Não era dia para isso", falou o espanhol, visivelmente emocionado em sua última entrevista em Melbourne.

Nadal também valorizou Ferrer, que não perdeu nenhuma partida ainda em 2011 - levou o Torneio de Auckland na semana anterior ao Grand Slam. "Tive um problema no início da partida e, a partir dali, estava praticamente tudo acabado", reconheceu. "Mas para mim é difícil falar disso. Parece que é sempre uma desculpa para as derrotas. No esporte, a gente tem altos e baixos. Prefiro falar da partida. Ferrer jogou em um nível muito alto. Está fazendo um torneio fantástico. Se continuar assim, tem muitas chances de ser campeão."

Toni Nadal, tio e técnico do campeão de nove Grand Slams, afirmou que o pupilo teve um rompimento de fibras na coxa. Não sabe, contudo, quanto tempo o tenista deve ficar afastado das quadras. Cogitou até que o vírus que Rafael contraiu no Catar e atrapalhou sua performance na primeira semana do Australian Open possa tê-lo prejudicado ontem. "Acredito que a gripe deixa o jogador mais propenso a problemas musculares. Acontece", avaliou Toni.

Ferrer enfrentará Andy Murray na semifinal. O britânico passou pela sensação ucraniana Alexandr Dolgopolov em jogo equilibrado: 7/5, 6/3, 6/7 (7/3) e 6/3.

Briga pelo número 2. Kim Clijsters e Vera Zvonareva confirmaram favoritismo e se enfrentam na semifinal da chave feminina. Apesar de ter jogado mal, a belga passou por Agnieska Radwanska por 6/3 e 7/6 (7/4). Já a russa, atual número 2 do mundo - perde a posição em caso de derrota para Clijsters -, teve facilidade diante da checa Petra Kvitova: 6/2 e 6/4.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.