Lesão no cotovelo deixa Rafael ameaçado de corte

Rafael está vivendo uma das situações mais angustiantes de sua carreira. Às vésperas da estreia nos Jogos Olímpicos de Londres, o goleiro do Santos sofreu uma lesão que pode tirá-lo da competição. O acidente ocorreu ontem, em um treino apenas para goleiros no centro de treinamento do Arsenal. Ele machucou o cotovelo direito em uma queda e fez um exame de ressonância magnética ontem mesmo para saber se disputará os Jogos ou voltará para casa. O resultado sairá hoje.

MATEUS SILVA ALVES , ENVIADO ESPECIAL / SAINT ALBANS, O Estado de S.Paulo

24 de julho de 2012 | 03h04

A seleção trabalhou ontem em dois períodos e, pela manhã, quando os jogadores de linha fizeram uma leve atividade física na academia do hotel em que a delegação está hospedada, os goleiros foram ao CT para um treino específico para eles. Foi quando ocorreu o infortúnio de Rafael, que nem voltou ao local para a atividade da tarde, um treino coletivo.

A situação de Rafael é delicadíssima porque ele pode ser cortado ainda que a lesão não seja muito grave. Como apenas 18 jogadores podem ser inscritos na Olimpíada, Mano Menezes decidiu que só dois goleiros disputarão a competição.

Assim, se o jogador do Santos precisar de um afastamento de poucos dias, já será o suficiente para tirá-lo da estreia nos Jogos e, neste caso, Mano terá de inscrever Gabriel, do Milan, para não ir para a partida contra o Egito apenas com um goleiro - Neto, da Fiorentina. Gabriel está treinando com a seleção justamente para o caso de algum dos goleiros sofrer uma lesão.

Ou seja, para Rafael só há duas opções: não ter lesão alguma no cotovelo, e assim estar apto para jogar na quinta-feira, ou voltar para a casa com uma decepção do tamanho da Inglaterra.

Se essa segunda alternativa se concretizar, ele não apenas deixará de disputar a Olimpíada como perderá a chance de ganhar muitos pontos na briga para ser titular também da seleção principal. É compreensível que ele esteja angustiado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.