Valentim Flauraud/Reuters
Valentim Flauraud/Reuters

Levantamento de peso reduz presença olímpica de países com histórico de doping

Decisão afetará nações que são consideradas potência na modalidade

Estadão Conteúdo

13 de abril de 2018 | 10h30

A Federação Internacional de Levantamento de Peso (IWF, na sigla em inglês) anunciou uma medida que restringirá a participação olímpica de países com diversos casos de doping. De acordo com o comunicado divulgado pela entidade, nações com mais de 20 resultados positivos em exames antidoping desde julho de 2008 terão direito a apenas uma vaga feminina e outra masculina nos Jogos de Tóquio, em 2020.

+ Ucraniano bicampeão europeu de levantamento volta a ser pego em antidoping

+ IAAF autoriza mais 9 atletas russos a participarem de competições internacionais

Isso se aplica à Rússia, Casaquistão, Azerbaijão, Armênia e Bielo-Rússia, todos considerados potências mundiais no levantamento de peso. A IWF ainda pode decidir bani-los totalmente se mais casos surgirem, disse Lilla Rozgonyi, porta-voz da federação.

Índia e Irã estão em uma segunda categoria de nações com entre dez e 20 casos confirmados de doping nesse período. Esses países poderão competir na Olimpíada com no máximo dois homens e duas mulheres. Outras nações poderão inscrever até quatro homens e quatro mulheres nos eventos dos Jogos de 2020.

A imagem do levantamento de peso ficou manchada após a reanálise de amostras antidoping de Pequim-2008 e Londres-2012 detectar 49 casos de doping. Em um evento da Olimpíada de 2012, seis dos sete primeiros colocados foram desqualificados por causa dos resultados positivos.

Depois que esses casos surgiram, o Comitê Olímpico Internacional (COI) reduziu o tamanho da competição de levantamento de peso para os Jogos de 2020. Assim, as novas regras são uma maneira de garantir que os países mais culpados pela situação do esporte paguem um preço mais alto. O novo código de regras foi "aprovado pelo COI e segue a lógica da redução da cota do COI sendo uma 'consequência' das reanálises de 2008 e 2012", disse Rozgonyi.

As novas regras também forçam os atletas a competir em pelo menos seis grandes eventos no período de qualificação olímpica de 18 meses. No passado, alguns atletas mal competiam antes dos Jogos, levando a suspeitas de que estavam evitando exames antidoping.

A Rússia foi banida inteiramente do levantamento de peso na Olimpíada de 2016 após a IWF determinar que o persistente uso de esteroides pela sua equipe manchou a imagem do esporte. Além disso, nove países foram barrados do Mundial do ano passado por causa de doping.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.