Lição do passado embala Palmeiras

Calejado com os erros e bagunças da temporada 2011, Alviverde tem chance de repetir marca histórica de Felipão hoje diante do Oeste no Pacaembu

DANIEL AKSTEIN BATISTA, O Estado de S.Paulo

23 de fevereiro de 2012 | 03h08

Luiz Felipe Scolari está próximo mais uma vez de atingir uma mesma marca no Palmeiras. Se não perder hoje para o Oeste, a partir das 19h30, no Pacaembu, o time chegará a 15 jogos sem derrota. Nos últimos 13 anos, só Felipão conseguiu tal feito.

No início do ano passado, o Palmeiras também começou empolgando a torcida. Foram mais de dois meses invicto, até a derrota para a Ponte Preta em 17 de abril. Naquele jogo, o time estava com vários reservas e já classificado para a fase seguinte do Estadual. Depois, todo torcedor sabe o que aconteceu: derrota nos pênaltis para o Corinthians na semifinal e uma temporada que foi por água abaixo.

Antes disso, a marca invicta não era alcançada desde 1999, quando o mesmo Felipão conseguiu 11 vitórias e 4 empates em um ano de glórias para o Palmeiras, com a conquista da Taça Libertadores.

Mas o desafio do treinador agora, além de bater nas 15 partidas invictas, é fazer com que o time não repita o fracasso de 2011. Se o começo do ano se mostra parecido, a questão é mudar os capítulos seguintes.

"No ano passado a gente começou com alguns problemas e agora está tudo bem, sem confusões", compara Marcos Assunção. "Já temos a lição de 2011 e temos de fazer as coisas melhores agora."

Segundo o volante, um dos líderes da equipe, a explicação para a boa fase alviverde está na ponta da língua: "Trabalho e paz", diz. "Hoje a tranquilidade reina no Palmeiras. Estamos treinando e jogando bem. E está prevalecendo o bom humor aqui", conta. "É o clima que faz com que todos fiquem tranquilos. Quando o time perde é ruim para todo mundo e aí começam as confusões e os problemas."

Com cinco vitórias consecutivas na competição, o grupo palmeirense tenta absorver as palavras de Felipão para não perder o foco. "É como ele disse: ainda não conseguimos nada", aponta Assunção. "Por enquanto a nossa felicidade não está completa", declara, esperando ao menos um título neste ano.

Com 7 pontos, o Oeste tenta surpreender para se aproximar do G-8. "É um time pequeno, em que todos os jogadores gostariam de estar aqui", diz Assunção sobre o rival. "Vai ser um jogo muito difícil e temos de respeitá-los."

PALMEIRAS

Deola

Cicinho (Artur)

Leandro Amaro

Maurício Ramos

Juninho

Márcio Araújo

Marcos Assunção

Daniel Carvalho

Patrik

Maikon Leite

Barcos

Técnico:

Luiz Felipe Scolari

OESTE

Zé Carlos

Adriano Alves Éder Lima

Fabrício

Paulo Vítor

Dionísio

Leandro Mello Mazinho

Fernandinho

Marcinho Beija-Flor

Assisinho

Técnico:

Roberto Cavalo

Juiz: Marcelo Prieto Alfieri

Local: Pacaembu

Horário: 19h30

Transmissão: Pay-per-view

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.