Ricardo Bufolin/ECP
Ricardo Bufolin/ECP

Líder no arremesso do peso, Darlan Romani quer 'medalhinha' no Pan e no Mundial

Atleta brasileiro registra 21,83 metros na atual temporada, melhor marca do ano

Redação, Estadão Conteúdo

02 de março de 2019 | 11h30

O ano de 2019 no atletismo é de Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru, e de Mundial de Doha, no Catar. Um dos destaques do arremesso do peso - é o líder no ranking mundial da IAAF (Associação Internacional de Federações de Atletismo, na sigla em inglês) ao ar livre da temporada, com a marca de 21,83 metros -, o brasileiro Darlan Romani não esconde suas metas: competir bem nos eventos internacionais e lutar por uma "medalhinha" nas duas competições. "Competir bem é meu objetivo. A gente quer uma medalhinha", afirmou.

O atleta catarinense de 27 anos tem motivos para sonhar alto nesta temporada. Darlan Romani terminou 2018 em quinto lugar no ranking mundial com a marca 22 metros, entrando de vez no grupo dos maiores arremessadores da história. Além disso, venceu a Copa Intercontinental da IAAF, disputada em Ostrava, na República Checa, quando integrou a equipe das Américas.

"A boa campanha do ano passado só aumenta a minha responsabilidade. Para me manter e melhorar meu nível internacional tenho de arremessar sempre acima dos 21 metros e espero isso nas etapas da Liga Diamante (Diamond League), no Pan e no Mundial", disse Darlan Romani, em entrevista divulgada pela Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt).

A marca de 21,83 metros, alcançada no último sábado, no Torneio Pinheiros/CBAt, em São Paulo, é melhor que todos os resultados obtidos pelo atleta até 2018. O bom desempenho também marcou a sua melhor estreia em uma temporada.

"Os treinos são cumulativos e vou ganhando mais força a cada ano", disse o atleta do Pinheiros, que chega a fazer mais de 60 arremessos em uma sessão de preparação técnica e levanta mais de 200 kg nos exercícios de musculação. "Estamos no caminho certo e sigo todas as recomendações do Prof", como ele chama o treinador Justo Navarro. "Os sonhos só vão aumentando".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.