Liminar deve impedir duelo no judô

O drama da contusão chegou ao judô - Luiz Camilo foi aos tribunais buscar uma liminar pelo direito de adiar seu segundo confronto da serie melhor-de-três, contra Leandro Guilheiro, no peso leve, na Seletiva Olímpica do Judô neste domingo, a partir das 12 horas (com SporTV), no ginásio Pedrão, em Teresópolis. O confronto não deve ocorrer por causa de um pedido de liminar impetrado pelo coordenador-técnico da AD São Caetano, o clube de Luiz Camilo, Mario Tsui Tsui, neste sábado. A liminar foi concedida pelo juiz Paulo Alberto Sarno, da Justiça Federal, através da 1ª Subseção São Paulo, Vara de Plantão. Luiz Camilo sofreu uma lesão do ligamento colateral do joelho direito, no dia 9 de março, precisa de seis semanas para se recuperar e quer adiar o combate para depois do dia 20 de abril. "Perdi a primeira seletiva para o Leandro e calo a boca. Ele foi melhor. Mas, agora, lutar assim machucado... Não quero prejudicar o Leandro. Só quero estar em plena condição de lutar com ele de igual para igual." Luiz, de 24 anos, campeão pan-americano do peso leve em São Domingos, em 2003, nunca foi a uma Olimpíada e disse que não queria abandonar o seu sonho de estar em Atenas, mas que a sua saúde é prioridade. Segundo o médico e ex-judoca, Wagner Castropil, se Luiz Camilo decidisse lutar machucado teria de assinar um termo de responsabilidade. "Eu poderia romper o ligamento cruzado e ser levado à cirurgia. Só estou reivindicando estar em condições físicas de lutar", frisa Camilo. O judoca soube que não poderia lutar na quinta-feira, quando treinou em seu clube, e viu que estava sem força no joelho. Sabia que o São Caetano tentaria adiar a luta com liminar, mas deixou para os dirigentes do clube a escolha da estratégia a ser adotada. "Sei que seria impossível lutar." O coordenador-técnico internacional da Confederação Brasileira de Judô, Ney Wilson, disse que Camilo já não participou do começo do processo de treinamento da seleção por causa de uma contusão (na clavícula), não foi à Europa, e no dia 20 de abril, o prazo que solicita, o Brasil estará estreando no Pan-Americano de Judô, na Isla Margarita (VEN), e quer competir com a equipe que vai à Olimpíada. O programa de lutas deste domingo, a partir das 12 horas, terá o terceiro confronto entre Flávio Canto e Tiago Camilo, no peso meio-médio, e Mário Sabino e Leandro Correa, no meio-pesado, valendo vaga olímpica. Fazem a segunda luta Henrique Guimarães e Leandro Cunha, no peso meio-leve, e Fúlvio Miyata e Alexandre Lee, no ligeiro (categoria que ainda não tem vaga olímpica para o País).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.