Londres muda alguns planos após eventos-teste da Olimpíada

Os eventos-teste para os Jogos Olímpicos de Londres levaram os organizadores a revisar alguns de seus planos, incluindo remover montanhas de terra para reconfigurar a pista de ciclismo BMX, após problemas de última hora.

ALAN BALDWIN, REUTERS

17 de fevereiro de 2012 | 18h43

Falando antes da Copa do Mundo de Saltos Ornamentais, que será o evento-teste do Centro Aquático, a diretora esportiva dos Jogos, Debbie Jevans, disse à Reuters que os 30 testes realizados até agora em locais de competição foram fundamentais para o sucesso da Olimpíada, que começa em 27 de julho.

"O motivo pelo qual nós fazemos esses eventos é ter certeza que tudo vai estar certo na hora dos Jogos", explicou ela, enquanto atletas testavam os trampolins e plataformas no parque aquático desenhado por Zaha Hadid.

"O retorno que tivemos dos atletas (sobre a pista de BMX) foi que, com o vento contrário, com certeza para as mulheres o primeiro salto estava difícil demais."

"Tivemos vários atletas caindo durante o evento-teste. Então o que fizemos foi reconfigurar a pista, nós reconfiguramos o primeiro salto e fizemos ele um pouco menor, e tiramos alguns saltos na primeira curva e na caixa de salto", disse ela.

"Esse foi um evento incrivelmente importante para nós, e agora estamos trabalhando lá."

A britânica Shanaze Reade, que venceu o evento-teste feminino no Parque Olímpico em agosto passado, disse após a prova que a pista ficava no limite quando o vento batia.

Os espectadores que enfrentaram uma verificação de segurança ao estilo de aeroportos internacionais para entrar no Velódromo para a Copa do Mundo de ciclismo que começou na quinta-feira também vão passar informações importantes.

O Parque Olímpico, na realidade, ainda é um campo de obras, tomado por operários ainda terminando os preparativos em instalações provisórias que serão levantadas para os Jogos.

Na arena de basquete, construída de forma temporária para os Jogos, tudo parecia lindo no papel, mas o evento-teste revelou problemas imediatos na prática.

"Quando os atletas entravam na arena eles faziam um caminho errado. Eles tinham que passar pela mídia para entrar em quadra. Então são essas coisas que nós reconfiguramos que são importantes", disse Jevans.

"Após cada evento nos fazemos uma avaliação completa com a equipe, os atletas e agimos com base nessa resposta."

Tudo o que sabemos sobre:
Olimpiada 2012LONDRESEVENTOSTESTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.