Londres promete alegria

O espetáculo e a grandiosidade que marcaram a Olimpíada de Pequim não se repetirão em Londres, em 2012, mas os britânicos prometem oferecer ao mundo o que muitos críticos consideraram ausentes na China: alegria e diversão. Apesar de qualificar a Olimpíada de Pequim de "impecável" e "fantástica", o chefe do comitê organizador dos Jogos de Londres, Sebastian Coe, disse ontem não estar intimidado para realizar a difícil tarefa de impressionar o mundo daqui a quatro anos, depois do show dado pelos chineses. Ex-campeão olímpico, Coe afirmou em entrevista coletiva em Pequim não considerar razoável comparar os Jogos e avaliou ser pouco provável que a grandiosidade vista nas duas últimas semanas se repita - não apenas em Londres, mas em qualquer outra Olimpíada. Coe e sua equipe acreditam que realizarão um grande evento em 2012, no qual deverão estar presentes uma série de elementos associados a Londres, como diversidade cultural, a indústria de entretenimento, a música pop e a diversão. Pequim realizou a Olimpíada mais cara da história, com investimentos de US$ 40 bilhões, e maravilhou espectadores de todo o mundo com o espetáculo de abertura dos Jogos.Dirigido pelo cineasta Zhang Yimou, o show teve a participação de 14 mil atores e celebrou a glória do passado imperial da China.Os britânicos prometem deixar como legado um dos maiores parques urbanos criados na Europa nos últimos 150 anos e a revitalização de uma área decadente da cidade. O orçamento total da Olimpíada de Londres é de US$ 21,2 bilhões. O que foi gasto pelo comitê organizador da China é muito mais que o dobro do investimento previsto pelos britânicos.A maioria das 34 instalações planejadas para Londres já existem e serão construídos apenas estádios que possam ser utilizados depois da Olimpíada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.