Longe da natação, Marina Brochado se dedica ao Direito

Musa cumpre a promessa e se dedica aos estudos depois de não ter conseguido disputar o Pan e a Olimpíada

Valéria Zukeran, O Estado de S. Paulo

01 Março 2009 | 08h54

Uma musa deixou carente a natação brasileira no começo deste ano. Mariana Brochado está cumprindo a promessa feita no fim de 2008 de trocar as piscinas para estudar Direito. Mas não quer ficar totalmente distante da realidade que viveu durante décadas e espera, no futuro, especializar-se em legislação esportiva.Mariana não esconde os motivos que a levaram a se aposentar. "Não ter conseguido disputar o Pan do Rio e a Olimpíada de Pequim pesou bastante. Ficar fora do Pan foi especialmente difícil, pois meu índice foi superado na última seletiva e, se tivesse me classificado, iria competir em casa", diz a carioca. Ela garante que sua decisão não foi movida pela emoção, mas por uma reflexão de pelo menos dois anos. "Na verdade, já estava me preparando para isso (encerrar a carreira) fazia tempo", conta a agora ex-nadadora, que, aos 24 anos, concluiu que não teria mais pique para um novo ciclo olímpico até os Jogos de 2012, em Londres.Como já estava cursando Direito, ela resolveu levar mais a sério a faculdade que antes ficava em segundo plano. O fato, no entanto, não impede Mariana de experimentar outras opções que possam surgir por causa de sua beleza, como, por exemplo, uma carreira de modelo ocasional. "Não apareceu nada até agora, mas, se acontecer, vou analisar com carinho", promete a musa das piscinas.

Mais conteúdo sobre:
nataçãoMariana Brochado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.