Love faz 2 e garante Fla na decisão

Atacante é destaque na vitória sobre o Vasco por 2 a 1. Equipe encara agora o Botafogo [br]na final da Taça Rio

Sílvio Barsetti, O Estado de S.Paulo

12 de abril de 2010 | 00h00

Vágner Love compensou a ausência de Adriano e levou o Flamengo à decisão da Taça Rio (segundo turno do Campeonato Carioca), no próximo domingo, contra o Botafogo. Ele fez os dois gols da vitória do Rubro-Negro sobre o Vasco por 2 a 1, ontem à tarde, no Maracanã, e disparou na artilharia, com 14 gols. O Flamengo precisa vencer o Alvinegro para conquistar a Taça Rio e forçar a decisão do Carioca em mais dois jogos contra o próprio Botafogo, que ganhou a Taça Guanabara (primeiro turno).

Assim como havia ocorrido no sábado, na partida entre Fluminense e Botafogo, a arbitragem mais uma vez foi muito ruim. João Batista Arruda marcou um pênalti duvidoso sobre Leonardo Moura, que resultou no segundo gol do Flamengo, e no segundo tempo fez vista grossa para um lance muito mais claro - Willians interceptou a bola dentro da área com o braço, para evitar finalização do zagueiro Thiago Martelli, autor do gol vascaíno ainda na primeira etapa. Pênalti claro que Arruda não assinalou, apesar do protesto contundente dos jogadores do Vasco.

O Flamengo atuou sem Adriano, que voltou a sentir dores nas costas, e dependeu de Vagner Love para garantir a vaga. O veloz atacante estava inspirado e chegou a criar duas outras oportunidades. No primeiro gol, recebeu ótimo lançamento de Bruno Mezenga, driblou Fernando Prass e concluiu.

A partida estava no começo e o domínio do Flamengo era indiscutível, mas o Vasco se recuperou até que Thiago Martelli aproveitou cobrança de escanteio para empatar.

Minutos depois, Marcio Careca tocou em Leonardo Moura na área, o lateral caiu e Arruda marcou o pênalti. O Vasco, antes, quase fez um gol, com Philippe Coutinho, que acertou a trave. A partir da vantagem, aos 26 minutos do segundo tempo, o Flamengo sofreu pressão, mas a arbitragem não permitiu a reação da equipe de São Januário.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.