Lucas dá sua camisa de presente ao filho de Neymar

Os dois jogadores brincam ao final do jogo e se preparam para o encontro na seleção brasileira em Londres

, O Estado de S.Paulo

29 de agosto de 2011 | 00h00

O laço de amizade entre Lucas e Neymar fica cada vez mais forte. Ontem, eles estiveram de lados opostos no clássico, mas não deixaram de elogiar um ao outro depois do empate por 1 a 1.

Lucas fez até questão de dar ao santista a camisa com a qual marcou um golaço. Segundo ele, foi um presente para o filho de Neymar, Davi Lucca, que nasceu na última quarta-feira. Os dois ficaram algum tempo conversando no gramado da Vila Belmiro.

"Foi um presente de grego o gol, mas eles conseguiram buscar o empate. A equipe deles tem muita qualidade. Jogar aqui com um jogador a menos é muito complicado", afirmou Lucas.

Apesar de Neymar não ter tido uma atuação brilhante no clássico - sofreu bastante pela forte marcação e, muitas vezes violenta, de Piris -, Lucas teceu elogios ao adversário. "Ele não fez gol, mas só pelas jogadas, pelos dribles, está de parabéns."

"O torcedor que pagou ingresso para ver o clássico com certeza saiu feliz pelo que viu em campo", acrescentou Lucas.

Neymar também elogiou o amigo. E espera que a dupla ainda faça muito sucesso atuando pela seleção brasileira. O próximo encontro será no dia 5 de outubro, quando o Brasil enfrenta Gana, em Londres. Basta Mano Menezes escalar os dois.

"Espero que possamos carregar essa responsabilidade com a camisa da seleção brasileira. Espero jogarmos juntos e darmos muita alegria para o Brasil. Nossa amizade é maravilhosa", afirmou o santista, que tem outros planos para o presente que recebeu de Lucas. A camisa será entregue a sua mãe Nadine e não ao filho recém-nascido.

Em relação ao resultado, Neymar se mostrou bastante satisfeito. "O mais importante é que não perdemos", disse o atacante, que criticou apenas do árbitro Wilson Luiz Seneme. Na avaliação do craque, Piris deveria ter sido expulso pelo excesso de faltas cometidas no clássico.

"Não era para ele ter terminado o jogo junto comigo", reclamou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.