Lucas para por 15 dias e preocupa o São Paulo

Meia está fora do jogo de amanhã, contra o Goiás, pela Copa do Brasil, e não pega o Santos pela semifinal do Estadual

Bruno Deiro, O Estado de S.Paulo

26 de abril de 2011 | 00h00

Há uma semana, o São Paulo planejava festa grandiosa no Morumbi amanhã, contra o Goiás, pela Copa do Brasil, para a reestreia de Luis Fabiano. Nada feito. O camisa 9 mostrou que ainda era cedo para voltar a atuar. Ontem, com a confirmação de que a lesão sofrida por Lucas é mais grave do que se pensava, o jogo de volta com os goianos já passa a ser uma preocupação para a equipe de Carpegiani.

Lucas sofreu estiramento na coxa direita durante o treino de sábado e vai ficar, pelo menos, 15 dias longe dos gramados. Na melhor das hipóteses, o meia retornará no primeiro jogo das finais do Paulista, dia 8 de maio, caso o time passe pelo Santos no sábado, às 16 horas, no Morumbi. "Esta previsão é apenas uma estimativa, a gente sempre espera que seja reduzido e vamos trabalhar para isso", disse o médico do clube José Sanchez.

O mais provável, no entanto, é que Lucas volte no dia 11, para as quartas de final da Copa do Brasil. Para que isso ocorra, o São Paulo precisa confirmar a vaga amanhã, com uma equipe cheia de problemas (leia abaixo).

Promovido ao profissional do São Paulo em agosto do ano passado, Lucas não teve descanso desde então. Titular na reta final do Campeonato Brasileiro, ele emendou a sequência de jogos com a disputa do Sul-Americano sub-20 pela seleção brasileira. Sem participar da pré-temporada, voltou ao Tricolor para iniciar o ano. Sanchez, porém, garante que a lesão não ocorreu em função disso. "O estiramento não teve a ver com o fato de ele não ter tido férias."

Jean admite que a ausência de Lucas e Luis Fabiano amanhã motiva o rival, que tentará reverter a derrota por 1 a 0 sofrida no Serra Dourada. "Sem dúvida, são grandes jogadores e fazem falta. Essa falta acaba dando empolgação ainda maior para o adversário", disse o lateral. Em conversa com Luis Fabiano, Rogério Ceni afirma que não encorajou o atacante a forçar a volta. "Eu disse para ele: "o torcedor esta esperando o cara que faz a diferença. Se você for meia-boca para o jogo, não vai fazer a diferença"."

Oportunidade. A ausência de Lucas abre vaga no setor ofensivo do São Paulo. Ilsinho deve ser mantido no lugar do meia e Marlos seguirá ao lado de Dagoberto no ataque. Mesmo assim, o jovem atacante Henrique, de 19 anos, sonha com uma chance. "Nunca torço para outro atleta se machucar. Só que isso acontece e pode ser a oportunidade que eu estava esperando."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.