Tiago Queiroz/AE
Tiago Queiroz/AE

Lucas sonha com título mundial e Espanha

Ser eleito o melhor do mundo também faz parte dos sonhos. Apesar dos planos ousados, garoto do Morumbi mostra timidez

Bruno Deiro e Marcius Azevedo, O Estado de S.Paulo

16 de abril de 2011 | 00h00

Desde que ofuscou Neymar com três gols e uma exibição de gala na conquista do Sul-Americano pela seleção brasileira sub-20, o são-paulino Lucas tem sido comparado ao craque do Santos. A semelhança entre as duas jovens promessas, porém, é pertinente apenas às quatro linhas. A maior joia do Morumbi, que em sete meses passou das categorias de base à seleção principal do Brasil, tem vida discreta fora de campo e ainda se acostuma aos holofotes. Ontem, em visita ao Estado, ele mostrou que, apesar da timidez, já mira alto: sonha em atuar no Barcelona, ser o melhor do mundo e conquistar uma Copa do Mundo pela seleção.

Há duas semanas, a comparação com Neymar foi além da indiscutível habilidade que os dois mostram com a bola. Na mesma noite de sua primeira expulsão como profissional, contra o Santa Cruz, o santista levou o vermelho na Vila Belmiro por colocar uma máscara. Nos dois episódios, a falta de maturidade da dupla ficou evidente. Lucas, porém, garante que foi um fato isolado. "Quando ficar irritado, eles (rivais) vão chegar mais firme para me tirar do jogo. Então, não posso perder a cabeça."

O erro cometido pelo amigo Neymar, porém, dificilmente seria repetido por Lucas. Pouco afeito a comemorações, ele admite que tem um estilo mais discreto. "Não tenho nada contra uma dancinha. Agora o cabelo eu já falei para ele que é feio. Cabelo ruim, igual o nosso, precisa cortar baixinho, curtinho, não tem o que inventar", brinca o meia.

A ousadia de Lucas é mesmo com a bola nos pés. Em sua passagem pela categoria de base do Corinthians, ele diz que teve de se impor frente a um técnico que quis reduzir sua espontaneidade. "No Corinthians, tinha um técnico que quando eu dava dois toques na bola já dizia para tocar. Mas eu não ouvia, pegava a bola e ia para cima. Aí quando perdia, ele ficava doido", diverte-se. "Meu estilo de jogo não muda. É o que sei fazer, pegar a bola e partir para cima na direção do gol. Foi assim que fiquei conhecido e tem dado certo."

Sem pressa. Aos 18 anos, Lucas tem acordo renovado até 2015 com o São Paulo e diz que não há pressa para ir em buscar do sonho de brilhar no exterior. "Todo atleta tem o sonho de atuar na Europa. Para se tornar melhor do mundo, aqui no Brasil nunca vai acontecer. Mas não tenho ambição de sair logo. Meus sonho é ser o melhor do mundo e ganhar uma Copa. Depois que fizer minha história aqui no São Paulo vou atrás disso."

Em negociação com a empresa de Ronaldo (9ine) para receber assessoria de imagem, Lucas deixou escapar qual a sua preferência para quando deixar o Morumbi. "Acho que não tem um jogador que não fique encantado com o time do Barcelona."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.