Luís Alberto, um cavaleiro especial

O cavaleiro Luís Alberto Carvalho Silva, de 46 anos, é exemplo de que o esporte pode ajudar as pessoas a superar seus problemas. O paulistano perdeu a visão há 32 anos e é o único cavaleiro cego do mundo no enduro eqüestre. Integra a equipe do CT Marechal, de Sorocaba, que participa deste sábado, com conjuntos de todo o País, do 12º Campeonato Brasileiro de Enduro Eqüestre, em Brasília. Ele ficou cego aos 14 anos, devido a um glaucoma congênito. ?Sofri, mas não deixei de viver. Não perdi nenhum dia de aula, pois tive muito apoio familiar?. O contato com os cavalos vem da infância. ?Cavalgar sempre foi o maior prazer da minha vida.? Devido à perda da visão, Luís Antonio afastou-se e só retomou o contato com os cavalos 23 anos depois, praticando volteio ? o animal anda em círculos, em uma arena, com o cavaleiro fazendo acrobacias em seu dorso. ?Apesar de ter montado quando criança, tive de reaprender tudo.? Em 1997, começou a praticar enduro eqüestre. ?Desenvolvi muito minha sensibilidade, pois nas provas é preciso prestar atenção ao ambiente.? No ano seguinte, começaram os bons resultados: Luís Alberto foi 3º colocado no Campeonato Paulista e 5º no Brasileiro. Em 1999, conquistou o 3º lugar na categoria 50 Km no Brasileiro. Há dois anos subiu da categoria 80 Km para a 120 Km, a principal do esporte. Nas competições, Luís Alberto é acompanhado por Wilson Soares, que o guia pelas trilhas. Neste sábado, montará o cavalo Barão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.