AE
AE

Luis Fabiano inicia luta para reconquistar vaga

Remanescente da equipe de Dunga, em 2010, atacante ainda sonha em jogar o Mundial de 2014. 'Se eu estiver 100%...'

VÍTOR MARQUES, ENVIADO ESPECIAL, O Estado de S.Paulo

18 de setembro de 2012 | 03h07

GOIÂNIA - Sessenta e três convocações, quarenta e três jogos, 28 gols e uma Copa do Mundo. Ninguém com um passado como esse pelo Brasil pode ser chamado de "novato" ou achar que está em fase de "testes".

Remanescente da era Dunga, Luis Fabiano está de volta à seleção brasileira pela primeira vez desde o Mundial na África do Sul. O atacante do São Paulo, que se diz esperançoso em disputar a Copa de 2014, sabe que o Brasil continua sem um camisa nove de respeito. "Parece que é a primeira vez, tenho de reconquistar meu espaço."

Luis Fabiano é uma alternativa às últimas convocações de Mano Menezes, que na Olimpíada de Londres se dividiu entre Leandro Damião e Alexandre Pato como referência de ataque. Outro sinal que mostra que o espaço está vago. No amistoso contra China, que pouco valeu pela fragilidade do rival, o time atou sem um centroavante nato e goleou os frágeis rivais por 8 a 0.

Para o Superclássico das Américas, contra Argentina, amanhã, no Serra Dourada, às 22 horas, Mano só convocou atletas que atuam no Brasil. Damião e Luis Fabiano são as opções de ataque.

Como contraponto ao Fabuloso: Damião atuou em 12 partidas pela seleção principal e marcou só dois gols. Dos jogadores que estão em Goiânia com a seleção, apenas Neymar, titular incontestável do time, faz frente ao atacante do São Paulo.

Luis Fabiano foi político no discurso que marcou seu recomeço com a camisa amarela. "Hoje a nove não está vaga, é do Damião e ele tem feito gols e tem dado conta do recado. Mas como o Mano está fazendo um reformulação há algumas posições vagas."

Problemas com a "nove" a seleção vive há tempos. Mais precisamente desde 2010. Dunga sentiu na pele esse problema, perpetuado na era Mano. Se Luis Fabiano for bem nesses dois jogos contra a Argentina pode continuar na lista de Mano mesmo nas futuras convocações, quando os jogadores que atuam na Europa puderem ser chamados.

Não há no futebol europeu um atacante brasileiro numa fase tão boa capaz de fazer com que Mano volte a ignorar Luis Fabiano. "Sei que tem muita coisa para acontecer até a Copa, mas se eu estiver 100%, tenho certeza que posso estar na lista definitiva", afirmou. "Não sou mais garoto, meu tempo está acabando e vou tentar fazer meu melhor para continuar."

Mano vai armar a seleção que encara a Argentina hoje em treino no Serra Dourada. Há uma possibilidade de escalar a seleção com um trio ofensivo de respeito para enfrentar a Argentina: Lucas, Luis Fabiano e Neymar.

Mais um amistoso. A CBF anunciou que a seleção fará amistoso diante do Iraque, treinado por Zico, no dia 11, na Suécia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.