Luís Fabiano se vê titular em 2010

Atacante do Sevilla diz não se sentir pressionado pela volta de Ronaldo

Eduardo Maluf, TERESÓPOLIS, O Estadao de S.Paulo

27 de março de 2009 | 00h00

Luís Fabiano anda bem diferente. Só no visual. Além do cabelo com tranças, que virou motivo de chacota entre os companheiros, nada mudou no ex-são-paulino. O atacante, em Teresópolis, continua falando o que pensa, sem se preocupar muito em escolher as palavras. Afirmou, por exemplo, que a febre Ronaldo não o incomoda. Ao contrário, disse se sentir "cada vez mais à vontade na seleção" e está seguro de que vai à Copa da África - até como titular.O jogador do Sevilla tem a confiança de Dunga porque decidiu alguns jogos importantes sob seu comando, como contra o Uruguai, em 2007, no Morumbi, e o Chile, em Santiago, no ano passado. No último jogo de 2008, fez 3 gols no 6 a 2 sobre Portugal, no Distrito Federal. "Sei que só dependo de mim para ir à Copa", comentou, irreverente. "No ano passado, vivi momentos felizes e marquei gols importantes", prosseguiu. "Espero que agora as pessoas passem a acreditar mais em mim."Ao pedir que "acreditem" nele, Luís Fabiano quis se referir à falta de badalação que envolve seu nome. Considera ser pouco falado na mídia, subestimado. Em 2007, chegou a trocar de assessoria de imprensa por achar que o trabalho de divulgação não vinha sendo bem feito.Hoje, apesar das boas atuações, aparece bem menos que Adriano, Robinho e, principalmente, Ronaldo. Também joga num clube de menor importância, o Sevilla. "Não sou de fazer marketing", ressaltou.Marketing, sabe o atacante, é o que sobra no caso do Fenômeno. Não que Ronaldo force a situação, mas sua fama, acredita, provoca repercussão na mídia, entre os torcedores, dirigentes... Bruno Mazzioti, fisioterapeuta do astro corintiano, aposta que ele estará bem fisicamente para disputar a Copa de 2010. E se continuar fazendo gols como os de anteontem... "Mas eu, quietinho, mesmo sem marketing, vou indo pelas beiradas até realizar meu sonho de ir à Copa do Mundo."Luís Fabiano, de 28 anos, chegou a ser convocado por Carlos Alberto Parreira para as Eliminatórias de 2006, mas, na reta final, caiu e acabou ficando fora do Mundial da Alemanha. Agora, no entanto, mostra mais consistência e maturidade, e ganhou prestígio com Dunga. No Sevilla, apesar de uma expulsão ou outra - algo relativamente constante na carreira -, tornou-se peça fundamental. Fora de campo não se envolve em confusões, é do "tipo família", disciplinado. Sua presença contra o Equador, domingo, em Quito, pelas Eliminatórias, está confirmada - Robinho será o companheiro. Ontem, fez dois gols, deu bons passes e foi um dos destaques do coletivo, na Granja Comary. DESEMPENHO Das 11 partidas disputadas pela seleção no ano passado, o atacante Luís Fabiano atuou em 9 jogos - 5 amistosos e 4 pelas Eliminatórias da Copa. Ao todo, marcou seis gols: um na vitória sobre o Canadá por 3 a 2; dois contra o Chile, pelas Eliminatórias, em jogo que terminou 3 a 0, e ainda assinalou 3 vezes na goleada por 6 a 2 em amistoso contra Portugal. O atacante foi substituído em 5 partidas (Adriano, Pato e Jô) e entrou no lugar de Adriano em outras duas, todas no 2.º tempo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.