Lula faz tabelinha de cabeça com o ''Fofão''

Presidente recebe corintianos e brinca com Ronaldo

Fausto Macedo, O Estadao de S.Paulo

13 de maio de 2009 | 00h00

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva encontrou uma brecha em sua concorrida agenda de trabalho para viver um dia de corintiano, ontem. No fim da tarde, Lula recebeu por cerca de 40 minutos, no escritório presidencial em São Paulo, na Avenida Paulista, uma comitiva do clube do coração. Ganhou uma bola autografada por todo o elenco campeão paulista, a nova camisa, recém-lançada, e pôde bater bola com o "Fofão" Ronaldo, apelido carinhoso dado por ele ao Fenômeno.Andrés Sanchez, presidente corintiano, Mário Gobbi, vice de futebol, William, capitão do time, Mano Menezes e Ronaldo estiveram no encontro. Mas Lula, com todo o respeito aos demais, se entusiasmou, mesmo, com Ronaldo. Disse estar impressionado com a recuperação do jogador e com seu retorno aos gramados. "Estou muito alegre com uma recuperação de que muitos duvidavam no País. E uma volta em alto nível", afirmou Lula, de acordo com o que contou Andrés Sanchez.Lula até arriscou um bate bola com Ronaldo. A pedido dos fotógrafos , o presidente empolgou-se e jogou para o Fenômeno a bola autografada que acabara de ganhar de presente. Ronaldo matou na coxa direta, mas a bola escapou-lhe. Lula retomou o ensaio e aí foi show - os dois fizeram tabelinha de cabeça. "O presidente saiu-se melhor", brincou Andrés. "É um orgulho muito grande, para nós, encontrar um corintiano tão especial. E agora menos corneteiro", afirmou Mano Menezes, dizendo que as cobranças de Lula sobre o time de Parque São Jorge diminuíram bastante.O presidente da República aproveitou a presença de Andrés para pedir que o Corinthians ajude numa campanha de caráter nacional de registro de nascimento dos brasileiros. "Muitas crianças nascem e não têm certidão no País, vamos ajudar nessa campanha", prometeu Andrés.RUSGAS FICAM PARA TRÁSLula vem buscando reaproximação com Ronaldo nos últimos meses. Há três anos, porém, pouco antes da Copa da Alemanha, o presidente perguntou a Carlos Alberto Parreira, então técnico da seleção, se Ronaldo não estava gordo, "como se lê na imprensa". O Fenômeno ficou irritado com a questão e rebateu. "Ele disse que sou gordo, como todo mundo diz que ele bebe para caramba. Tanto é mentira que estou gordo como deve ser mentira que ele bebe para caramba." COLABOROU FÁBIO HECICO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.