Lula tem trabalho fácil ao promover Jogos Olímpicos, diz 'NYT'

Para o jornal, basta dizer que o Rio de Janeiro tem 'as mais belas praias' que o presidente consegue a sede

BBC Brasil, BBC

23 de setembro de 2009 | 06h48

As declarações do presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre a candidatura do Rio para sediar as Olimpíadas de 2016 foram destaque na imprensa americana, nesta quarta-feira. "O trabalho mais fácil do mundo pertence ao presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, ao promover a candidatura do Rio para sediar as Olimpíadas de 2016", afirma reportagem do jornal norte-americano New York Times.

Veja também:

linkPaes se diz otimista, mas nega favoritismo

linkObama enviou carta ao COI por Olímpiada em Chicago 

especialRIO 2016 - Mais sobre a campanha pelos Jogos

especialOs prós e contras das candidatas aos Jogos 2016

Lula conversou com a imprensa em Nova York, onde participa da Assembléia Geral da ONU, e segundo o repórter, basta ele dizer que "o Rio tem as praias mais lindas do mundo" que ele consegue uma "audiência imediata".

A reportagem comenta a reta final da disputa para sediar as Olimpíadas de 2016 e lembra da importância dos chefes de Estado neste lobby, citando os esforços do ex-primeiro ministro britânico Tony Blair para levar os Jogos de 2012 para Londres, e do ex-presidente russo Vladimir Putin para atrair os Jogos Olímpicos de Inverno para Sochi, em 2014.

"Depois dessas duas missões, a sabedoria popular é de que não custa nada ter um chefe de Estado cortejando os membros (do Comitê Olímpico Internacional) antes da votação secreta", afirma o NYT.

"Com isto em mente, o novo primeiro-ministro japonês, Yukio Hatoyama, está pensando em viajar para Copenhague (onde será realizada a votação) e espera-se a presença do rei Juan Carlos, da Espanha. Mas o presidente (Barack) Obama disse que não vai."

O presidente americano explicou que não pode deixar os Estados Unidos neste momento porque está lutando pelas reformas no setor de saúde, mas que sua mulher, a primeira-dama Michelle Obama, vai representá-lo.

Segundo a mídia, Rio e Chicago são apontadas como as favoritas na disputa. Tóquio e Madri também são finalistas.

Lula disse aos repórteres que sabe qual foi o papel de Blair na candidatura de Londres e revelou que vem conversando com membros do COI há dois anos sobre a candidatura do Rio.

"Quando alguém observou que Michelle Obama vai representar os Estados Unidos em Copenhague, Lula disse que está levando sua mulher com ele, 'então serão dois contra um'."

De acordo com a reportagem, Lula falou sobre as infra-estrutura da Copa de 2014, que estará garantida para as Olimpíadas. "Mas a melhor infra-estrutura de todas podem ser a areia e as ondas", diz a reportagem.

O NYT ainda lembra que, apesar de os Jogos Olímpicos serem realizados durante o inverno no hemisfério sul, a temperatura média na cidade é de 18º C a 24º C, "muito boa para andar na praia".

Os comentários de Lula também foram destaque no jornal americano Wall Street Journal, que ressalta que o presidente usou a pobreza para tentar atrair simpatia para a candidatura do Rio.

"Falando com repórteres em Nova York, o populista presidente fez um apelo emocionado para trazer os Jogos para o Rio, para que os pobres possam ter a experiência de passar pelo evento", afirma o WSJ.

Segundo o jornal, a disputa para sediar os Jogos está esquentando na reta final e "Lula já aprovou cerca de US$ 240 bilhões para financiar os Jogos e ofereceu a garantia do governo federal para cobrir buracos no orçamento do comitê organizador. Isso, combinado ao argumento de que a América do Sul merece uma oportunidade de sediar o evento, faz do Brasil um concorrente formidável".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.