Lusa aposta em jogo aéreo para manter boa fase

Após cumprir as duas primeiras metas, deixando a lanterna e a zona de rebaixamento, a Portuguesa quer ganhar mais fôlego no Campeonato Brasileiro. Para tanto, aposta em sua artilharia aérea para surpreender o Corinthians.

O Estado de S.Paulo

29 de setembro de 2013 | 02h13

O time lidera as estatísticas no quesito gols de cabeça neste Brasileirão. Nada menos que 14 dos 33 gols anotados pelo time saíram assim - inclusive o gol do meia Wanderson que deu a vitória sobre o Internacional por 1 a 0 em Novo Hamburgo na rodada passada.

Na últimas sete rodadas a Portuguesa manteve um aproveitamento superior a 70%, com cinco vitórias e duas derrotas. A boa fase a afastou da zona de rebaixamento - tem 28 pontos. O técnico Guto Ferreira, porém, pede cautela. "Vamos pensar sempre passo a passo. Nosso próximo objetivo ainda é buscar uma zona de conforto."

O treinador será um dos desfalques da Lusa para esta partida. Isso porque foi suspenso por dois jogos pela expulsão na vitória sobre o São Paulo por 2 a 1 no dia 11 de agosto. A responsabilidade de comandar o time à beira do campo será do auxiliar técnico Alexandre Faganello.

E logo de cara Faganello terá de conviver com a ausência do atacante Diogo, que terá de ficar afastado dos gramados por um mês. Ele teve uma crise de apendicite e precisou ser operado na madrugada de sexta-feira. Quem também está fora de combate é o lateral-direito Luís Ricardo, que cumprirá suspensão pelo terceiro cartão amarelo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.