Lusa de olho na arbitragem

Time de Bonamigo, porém, tem sido beneficiado

Bruno Deiro, O Estadao de S.Paulo

31 de março de 2009 | 00h00

A proximidade da vaga nas semifinais do Estadual faz a Portuguesa relembrar o problema de arbitragem ocorrido na última vez em que se classificou, há 11 anos. Em 1998, foi eliminada após um pênalti inexistente marcado nos minutos finais da semifinal contra o Corinthians. Estratégia ou não, o time do Canindé já ensaia um discurso de alerta antes do jogo decisivo contra o Santos na Vila. Sorteado ontem, José Henrique de Carvalho será o árbitro da partida - ele já apitou a vitória do Santos por 2 a 1 sobre o Noroeste na 2ª rodada. Após a vitória por 4 a 1 sobre o Marília, anteontem, o atacante Edno pediu atenção na arbitragem. "Tenho certeza de que entre o Santos e a Portuguesa, todo mundo vai preferir o Santos."A própria Lusa, porém, tem se beneficiado por erros nas últimas rodadas. Contra o Mirassol, Fabrício Carvalho desviou com a mão para empatar o jogo por 2 a 2. No último jogo, o juiz viu empurrão inexistente de Ataliba no atacante Edno na área, marcou o pênalti e ainda expulsou o zagueiro do Marília. Invicto em seis jogos à frente da Lusa, o técnico Paulo Bonamigo não precisa vencer para se classificar às semifinais: dois empates bastam. Apesar disso, ele sabe que jogar apenas para empatar não é a melhor opção. Seu antecessor, Mário Sérgio, foi demitido após insistir em colocar o time, com vocação ofensiva, jogando recuado. Contra o Santos, a Lusa estará desfalcada do volante Guigov, que torceu o joelho e vai ficar 10 dias fora.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.