Luxemburgo fica no Palestra

A desclassificação na Libertadores não vai provocar mudanças radicais no planejamento do departamento de futebol do Palmeiras. Essa é a promessa do técnico Vanderlei Luxemburgo e do vice-presidente Gilberto Cipullo. Ambos admitiram após o empate por 0 a 0 com o Nacional, em Montevidéu, que o time precisa de reforços. "A base está montada. Pelo menos 80% dos que estão aqui vão continuar", disse o treinador. O técnico diz que a ideia é manter os principais jogadores da Traffic até a metade do ano que vem. O sonho é ver Diego Souza, Keirrison, Willians e cia. sendo vendidos após o título da Libertadores de 2010, valorizados como grandes ídolos do clube. "Tive de mudar todo o planejamento de um ano para o outro, e o time que montamos é muito jovem. Eu avisei que ele não teria o amadurecimento suficiente para se dar bem nesta Libertadores, mas para uma competição de mais de 30 rodadas como o Brasileiro pode ter sucesso", afirmou. "Os jogadores acabaram aprendendo na prática que Libertadores se perde em alguns detalhes. No nosso caso, foi um vacilo naquele jogo no Palestra que gerou o gol do Nacional (empate por 1 a 1)." Luxemburgo concordou que, de todos os adversários, o Nacional foi o mais fraco. "A eliminação dói ainda mais isso."

JULIANO COSTA, MONTEVIDÉU, O Estadao de S.Paulo

19 de junho de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.