Luxemburgo gosta do resultado

?Acredito que fomos bem e o resultado foi justo para os dois?, disse

Carlos Alberto Fruet, PORTO ALEGRE, O Estadao de S.Paulo

28 de julho de 2008 | 00h00

Apesar de seguir com mau retrospecto longe de casa, os palmeirenses gostaram do empate de ontem com o líder Grêmio, no Estádio Olímpico. O técnico Vanderlei Luxemburgo elogiou o seu time e citou o mau tempo como fator prejudicial para as duas equipes, que não conseguiram desenvolver um futebol de alto nível."Com uma chuva dessas era impossível, tanto para Grêmio como Palmeiras, jogar um bom futebol. Parecia vôlei ou basquete", comparou. "Mas acredito que fomos bem e o resultado foi justo para os dois", declarou o treinador. "Melhor para o Grêmio, que conseguiu se manter na parte da frente da tabela.".Para dizer que Luxemburgo não foi só elogios ao desempenho dos jogadores do Palmeiras, ele lamentou a forma como o Grêmio marcou o gol de empate, com Anderson Pico aproveitando um rebote do goleiro Marcos, após cruzamento na área. "É uma jogada que o Grêmio faz com muita freqüência e nós havíamos alertado o pessoal sobre isso", lembrou. "Fomos para 25 pontos e agora vamos encarar o Flamengo, outro adversário direto à classificação para a Libertadores e o título."Como é de seu costume, Luxemburgo também opinou sobre a arbitragem. E se referiu especificamente ao atacante Kléber, que levou o cartão amarelo logo aos 2 minutos de jogo, por acertar o zagueiro Pereira. O treinador disse que o palmeirense é perseguido em campo. "Todo mundo sabe que futebol é jogo de muito choque. Juiz que fica marcando faltinha aqui e ali é inseguro", reclamou. "É bom todos se lembrarem daquele árbitro (o gaúcho Leandro Vuaden) que apitou nossa partida contra o Fluminense. Aquilo foi jogo bonito de se ver, corrido e sem faltas. O Kléber está muito visado pelas arbitragens."Os jogadores deixaram o Olímpico valorizando o ponto conquistado. "Jogar aqui é sempre difícil", falou o lateral-direito Élder Granja. "A equipe está de parabéns, todos mostraram brio e vontade", ressaltou. O meia Diego Souza, que achava que iria ser bem recepcionado pela torcida gremista após boa passagem pelo Sul no ano passado, foi bastante vaiado pelos torcedores, que não se conformam pelo fato de o atleta ter preferido atuar no Palmeiras neste ano. O meia nem se incomodou por ter sido chamado de ?vendido?. "Isso é normal em futebol. Basta a gente ter maturidade para encarar esses fatos e se focar apenas no andamento do jogo. Foi o que eu fiz. Gosto e respeito a torcida do Grêmio, mas agora ela tem de entender que eu defendo o Palmeiras."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.