Luxemburgo já sonha com G4

Técnico quer vitória contra o Flamengo, na Vila Belmiro, para pensar grande. Roni rescinde contrato e vai para o Flu

Sanches Filho, O Estadao de S.Paulo

25 de julho de 2009 | 00h00

O Santos ainda não está entre os principais candidatos ao título do Brasileiro, mas pode ser considerado favorito contra o Flamengo, hoje, às 16 horas, na Vila Belmiro. Um pouco pela tradição de sempre se dar bem em casa diante do clube da Gávea, de quem não perde na Vila desde 1976, quando Vanderlei Luxemburgo era jogador e fez o gol da vitória por 2 a 1, em jogo amistoso. E também em razão das situações distintas dos clubes no momento. Enquanto Luxemburgo estreava com vitória por 1 a 0 contra o Atlético-PR, quarta-feira, na Vila, o Flamengo empatava com o Barueri no Maracanã, provocando a demissão do técnico Cuca. Como Roni rescindiu contrato ontem e foi para o Fluminense, Neymar será o centroavante. Outro que está de volta é Paulo Henrique Ganso , enquanto Pará vai para a lateral-direita. "Temos de aproveitar a força da Vila Belmiro para fazer o adversário ter medo. Em competição de pontos, quem quer brigar pelo título não pode perder em casa", ensina Luxemburgo. Com pouco tempo para fazer mudanças táticas, a primeira preocupação de Luxemburgo foi acabar com as divergências entre a torcida e os jogadores. O técnico encontrou o grupo traumatizado pelas ameaças que sofreu após a derrota por 6 a 2 para o Vitória em Salvador. "A maior dificuldade no primeiro tempo, na quarta-feira, foi o medo que os jogadores tinham de errar e serem hostilizados pelo torcedor. Depois dos primeiros erros, como ninguém vaiou, eles foram se soltando", analisa. Com uma semana de muita chuva na Baixada Santista, o treino da sexta-feira serviu apenas para adaptar Luiz Henrique Ganso à função de atacante pela esquerda, com a responsabilidade de voltar até o meio-campo. Ele também corrigiu a maneira de atuar de alguns jogadores, como Madson. No entender do treinador, o meia será mais útil se pensar mais nos companheiros e deixar de correr com a bola.No Flamengo, que viveu uma semana conturbada, com a saída do vice de futebol Kléber Leite e do diretor Plínio Serpa Filho, ao menos o técnico interino Andrade teve boas notícias em campo, com as voltas do volante Toró, dos zagueiros Wellington e Fabrício e do meia Everton.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.