Luxemburgo reclama e é expulso pela 1.ª vez no ano

Na volta ao Palestra Itália, Vanderlei Luxemburgo só pôde comandar seu time nos 20 minutos iniciais - ao reclamar de um pênalti em cima de Valdivia, foi expulso pelo árbitro Paulo Roberto Ferreira. Irritado, deixou o campo chiando. E, mais uma vez, criticou o coronel Marcos Marinho, presidente da Comissão de Arbitragem da Federação Paulista de Futebol."A Federação tem de entender que a democracia existe. Você deve poder falar, fui expulso sem ofender ninguém. O bandeira chamou a atenção do juiz, que não quis nem saber e me meteu pra fora. É sacanagem", disparou. "Eu sabia que uma hora iria ser expulso, as declarações estavam incomodando", prosseguiu. "O coronel Marinho não gosta que ninguém reclame dele. Ele e o Marco Polo (Del Nero, presidente da FPF) tem de saber que não é assim que se faz futebol, eles estão equivocados." O preparado físico Antonio Mello, que estava ao lado de Luxemburgo, foi além. "Foi uma das coisas mais injustas. O 4º árbitro provocou a expulsão."Luxemburgo já havia reclamado anteriormente que o coronel Marinho se equivocava ao falar em público da atuação dos árbitros. E que ele deveria orientar a arbitragem a ter mais paciência com os jogadores, que devem sim conversar com os juízes. Ontem, o treinador mais uma vez falou que o trabalho da Comissão de Arbitragem está deixando a desejar. E Marinho ignorou as declarações de Luxemburgo. "Não sei o que ele falou e não me interessa saber."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.