Luxemburgo vê perseguição de árbitro

Técnico diz que chefe da arbitragem está com camisa são-paulina por baixo

Giuliander Carpes, O Estadao de S.Paulo

25 de maio de 2009 | 00h00

O técnico Vanderlei Luxemburgo não poupou críticas à arbitragem de Rodrigo Braghetto. O juiz deixou de assinalar um pênalti cometido por André Dias em Diego Souza no começo do segundo tempo. "Se o árbitro tivesse com a visão ruim até podia perdoar. Mas ele estava de frente e não podia deixar de marcar o pênalti", disse o comandante palmeirense. Leia mais sobre as equipes e opine sobre a rodada no canal especialLuxemburgo chegou a insinuar que o árbitro tivesse prejudicado o Palmeiras por causa de afirmações do treinador antes das semifinais do Campeonato Paulista. "Falei que esses juízes mais novos, como o Braghetto, têm de esperar para apitar as fases finais, porque a preferência é dos árbitros Fifa", lembrou o treinador. "Talvez ele tenha ficado chateado. Os árbitros também precisam ser melhor orientados. Não sei se o Coronel Marinho está com a camisa do São Paulo por baixo da roupa dele", metralhou, criticando também o chefe da comissão de arbitragem da Federação Paulista de Futebol.As afirmações de Luxemburgo podem levá-lo novamente ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). O treinador sabe que suas declarações vão repercutir mal. "O futebol precisa ser mais democrático. A gente se sente muito pressionado pelo que vai falar", reclamou. "Se eu quiser falar mal do Lula, do Serra, eu posso, mas não posso falar da arbitragem quando ela nos prejudica."Sobre o futebol de sua equipe, Luxemburgo disse que o jeito de jogar no confronto com o Nacional será parecido com o das duas últimas partidas. Porém, a equipe não venceu em nenhuma.KLÉBER NA TORCIDATrês dias antes de entrar em campo contra o São Paulo pelas quartas de final da Libertadores da América, o ex-palmeirense Kléber, de folga no Cruzeiro, esteve ontem no Palestra Itália. Encapuzado, tentou evitar a imprensa, mas foi descoberto. "Vim ver como o São Paulo vai jogar", disse. O atacante afirmou que ainda gostaria de voltar a jogar no Palmeiras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.