Madruga premiará quem bater seu recorde no Maria Lenk

O ex-nadador Djan Madruga resolveu fazer um desafio aos atletas brasileiros que vão disputar o Troféu Maria Lenk, de 3 a 9 de maio, em Santos. O antigo campeão promete pagar um prêmio de US$ 5 mil (cerca de R$ 8,7 mil) para quem conseguir bater seu antigo recorde sul-americano nos 800 metros livre utilizando uma sunga, assim como ele fez em 1980.

AE, Agência Estado

19 de abril de 2010 | 20h50

O recorde sul-americano de Djan Madruga, que fez 7min59s85 nos 800 metros livre em 1980, já foi batido no ano passado, pelo também brasileiro Rogério Arapiraca. Mas ele cravou a marca de 7min58s20 com um maiô tecnológico, de corpo inteiro. Por isso, Djan Madruga idealizou agora o "Desafio dos Recordes", apelidado de "Desafio do Sungão".

"O objetivo é motivar as provas longas no Brasil. A primeira medalha olímpica da natação brasileira saiu das braçadas de um fundista (Tetsuo Okamoto ganhou bronze nos 1.500 metros livre, em 1952) e hoje só se fala em velocistas e todos só querem nadar as provas rápidas. Quero movimentar essa categoria", explicou Djan Madruga, que foi medalhista de bronze na Olimpíada de Moscou, em 1980, com o revezamento 4x200 metros livre.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.