Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Mãe de Daniele Hypólito cobra COB e CBGin

Nada melhor do que um ?coração de mãe" para saber que seu filho não está bem. Neste caso, a mãe é Geni Hypolito e, a filha, a maior ginasta do Brasil, Daniele. ?A Dani já sofreu muito na vida para chegar onde chegou e tem sofrido tudo novamente." Daniele vem enfrentando constantes problemas de saúde e contusões. Nos Jogos Pan-Americanos de São Domingos, ela desistiu de participar da final da prova de solo, por causa de dores na panturrilha esquerda. Na semana passada, durante a final do individual geral, nos exercícios de solo, do Mundial de Ginástica Olímpica de Anaheim, na Califórnia (EUA), torceu o tornozelo e também deixou a competição. Recatada e se esforçando para escolher as palavras, Geni procurou analisar os problemas que a filha vem enfrentando com serenidade. Poupou de críticas a Confederação Brasileira de Ginástica (CBGin) e o Comitê Olímpico Brasileiro (COB), mas lembrou que somente ambas as entidades podem explicar tudo a respeito de Daniele. ?O que aconteceu com a Dani? Tem que perguntar ao COB e à confederação, que foram os responsáveis por ela ir para Curitiba. Há oito meses já estão com ela lá", sugeriu Geni. ?Só sei que ela está machucada." O desempenho de Daniele também vem deixando a desejar. Seu rendimento caiu e, nas últimas competições, obteve resultados aquém de seu potencial. O principal motivo para os infortúnios seria a falta de adaptação a Curitiba, onde desde janeiro treina com a seleção olímpica permanente. Atleta do Flamengo, ela foi forçada a deixar de treinar no clube e se mudar para o Centro de Excelência da Confederação Brasileira de Ginástica (CBGin). Geni se recusou a falar sobre sua ida a Curitiba, onde permaneceu por 30 dias acompanhando a filha no mês passado, assim como a possibilidade de a atleta voltar a treinar no Flamengo, no Rio. No entanto, deixou transparecer sinais de preocupação com o atual momento vivido por Daniele. ?Não a sinto mais com aquele sorriso natural." A perda excessiva de peso pode ser uma das possíveis causas para a queda no rendimento de Daniele, de acordo com Geni. Explicou que a atleta está com 42 quilos, peso registrado na época de quando competiu nos Jogos Olímpicos de 2000. Normalmente, a Pequena Notável deveria estar pesando entre 43,5 quilos e 44 quilos. ?Acho que essa perda excessiva de peso fez os anticorpos da Dani baixarem demais. Ela ficou sem forças e isto pode estar gerando as contusões", observou Geni, frisando ser apenas suposições. ?Agora é que a figura da mãe entra. Vou levá-la a um médico assim que chegar aqui." O retorno de Daniele ao Brasil está previsto para sábado. Acompanhada pelos atletas brasileiros que participaram do Mundial, ela foi passar uma semana de folga na Disneylândia.

Agencia Estado,

25 de agosto de 2003 | 19h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.