Mike Segar/Reuters
Mike Segar/Reuters

Magnano exige atenção total contra a fraca equipe anfitriã

Seleção brasileira tem hoje pela frente a equipe mais frágil dessa fase inicial, mas técnico não quer o time relaxado

Sílvio Barsetti , Enviado especial / Londres, O Estado de S.Paulo

31 de julho de 2012 | 03h05

LONDRES - Pelo menos na teoria, o Brasil terá um de seus adversários mais frágeis na primeira fase do torneio masculino de basquete. A Grã-Bretanha disputa a Olimpíada apenas pela segunda vez na história (a outra foi em 1948) e precisou até do aval da Federação Internacional para fazer parte do torneio. Mas o técnico Rubén Magnano faz um alerta sobre o adversário da partida que começa às 12h45 (de Brasília): "Não podemos nos iludir com as imagens que são criadas".

Apesar da falta de tradição, a Grã-Bretanha terá a seu favor a torcida e, também, dois devotados jogadores: Luol Deng e Pops Mensah-Bonsu. Atletas de maior projeção internacional da equipe britânica - Deng atua no Chicago Bulls e Mensah-Bonsu, com passagens pela NBA, agora joga no Besiktas da Turquia -, sustentam a base da equipe após terem abraçado o projeto de se formar uma seleção para representar a sede dos Jogos. Não só são bons jogadores, mas também embaixadores do incipiente basquete britânico.

"Não podemos menosprezar. Todos os times podem ser uma surpresa se chegarmos de salto alto", ensina o pivô Nenê Hilário. "Os jogos como esses podem ser como partidas de xadrez. Eles não têm tanta tática nem técnica como outras equipes, mas têm força física e jogadores importantes", disse o armador Marcelinho Huertas.

Equilíbrio. Depois do nervosismo apresentado na estreia, os brasileiros esperam controlar os nervos na partida de hoje.

A inteligência emocional é vista como fator-chave por Magnano, que ficou bastante irritado com a inconstância mostrada na partida contra a Austrália. A vitória veio, mas por placar apertado, e decisões erradas da equipe quase colocaram tudo a perder.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.