Maguila é acusado de agressão

O ex-pugilista Adílson "Maguila" Rodrigues foi parar na delegacia, na tarde desta sexta-feira, e culpou a prefeita de São Paulo, Marta Suplicy, pelo incidente. Ele foi acusado de agredir um funcionário do Centro Esportivo do Tatuapé, que é da Prefeitura.Na última segunda-feira, Maguila deu uma entrevista ao Programa do Ratinho, do SBT, queixando-se de atraso de salários - ele recebe pela Prefeitura por aulas de boxe para crianças que dá no Centro Educacional e Esportivo Brigadeiro Eduardo Gomes. Depois das queixas, o ex-pugilista diz que foi chamado para uma reunião com os diretores do Centro Esportivo. No meio da reunião, discutiu com Elói Grande Júnior, assistente de direção do local.Elói acusa Maguila de tê-lo agredido com um soco. O ex-pugilista se defende e diz que não bateu em ninguém e também acusa Elói de agressão. "Ele ficou nervoso porque eu critiquei a prefeita Marta em um programa de tevê. Só quero meus salários atrasados. Não bati em ninguém. Sou evangélico", disse o ex-lutador.O caso foi parar no 30º Distrito Policial, no Tatuapé. Maguila apareceu com um corte na mão (os dois - ele e Elói - foram fazer exame de corpo delito no Instituto Médico Legal). O termo circunstancial feito pelo delegado Everardo Tanganelli Júnior apontou agressão mútua. Liberados no começo da noite, Maguila e Elói deverão responder também a um inquérito administrativo a ser aberto pela Secretaria Municipal de Recreação, Esportes e Turismo, que admitiu: salários de novembro e dezembro do ano passado ainda estão atrasados. Além de Maguila, mais de 100 ex-jogadores e atletas que dão aulas em Centros Esportivos da Prefeitura estão na mesma situação. Segundo a Secretaria, a falta de verbas ainda vem da gestão anterior, do então prefeito Celso Pitta. A promessa é que os salários sejam colocados em dia no máximo em duas semanas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.