Mahbida, marco arquitetônico

Estádio de Durban é um dos mais modernos do mundo: tem até teleférico para ver a paisagem do Índico

, O Estadao de S.Paulo

14 de março de 2010 | 00h00

O estádio que vai receber o primeiro clássico da Copa do Mundo é simplesmente um clássico da arquitetura. O Moses Mabhida, da cidade de Durban, cenário de Brasil e Portugal, em 25 de junho, partida que poderá definir as equipes classificadas às oitavas de final, é uma das arenas mais modernas do planeta.

Ele se destaca por um arco que cruza toda a sua extensão e que ainda pode ser visitado por meio de um bem engendrado teleférico.

Para os jogadores, a atração principal deve ser outra. O gramado está em perfeitas condições e dependências como os vestiários e as salas de massagens são espaçosas e muito bem equipadas.

O Moses Mabhida, nome dado em homenagem a um dos líderes na luta contra o apartheid, foi construído às margens do Oceano Índico. Antes, no local, existia o Kings Park, estádio demolido em 2006.

A obra custou US$ 350 milhões (quase R$ 620 milhões). Pelo projeto, é uma arena multiuso, que poderá, após a Copa, sediar jogos de rúgbi, críquete e até grandes shows.

O arco em forma de Y teve como objetivo homenagear a bandeira da África do Sul. Tem 350 metros de extensão e está a mais de 100 metros de altura em relação ao gramado em seu ponto mais alto.

De lá, se pode ver uma paisagem esplêndida. É possível enxergar tanto o Índico sem fim quanto a cidade de Durban, uma das maiores e mais belas do país, também um reduto da colônia indiana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.