Mais decisão

Tendo o que ocorreu na Fórmula 1 como modelo, a Stock Car também leva para a última corrida do ano uma decisão bastante apertada. A zebra andou solta domingo passado na pista de Brasília e provocou uma virada inesperada no campeonato. Ricardo Maurício, até então líder e dominando a penúltima etapa desde a pole position, rodou por causa de um pneu furado e o carro atolou na brita. Allam Khodair, que poderia até assumir a liderança do campeonato, teve um pit stop demorado que o fez perder sete posições na corrida. Cacá Bueno, que corria mais pensando em marcar pontos do que na vitória, acabou vencendo e, a poucas voltas do final, estava prestes a saltar do quarto para o primeiro lugar no campeonato. E, finalmente, Max Wilson conseguiu duas grandes ultrapassagens nas últimas voltas para terminar em segundo e roubar a liderança de Cacá no campeonato.

Reginaldo Leme, O Estado de S.Paulo

26 de novembro de 2010 | 00h00

Agora, coincidindo com a situação pré-corrida de F-1 em Abu Dabi, quatro pilotos entram na última etapa (5 de dezembro em Curitiba) com chances de conquistar o título. Além de próximos na classificação, ainda tem a regra dos descartes para afunilar mais ainda a decisão. Max Wilson tem 6 pontos de vantagem para Cacá Bueno, mas, com o descarte acumulado até agora, esta diferença cai para dois pontos.

Allam Khodair está nove pontos atrás de Cacá e 15 atrás de Max, mas, com o descarte, a diferença diminui para 13. Ricardo Mauricio, que de líder, caiu para quarto com o descarte (que fica sendo esta corrida sem ponto de Brasília), fica em terceiro e oito pontos atrás do líder. Na Stock, uma vitória vale 25 pontos, o segundo lugar fica com 20, o terceiro com 16 e, do quarto ao 15.º colocados marcam pontos na seguinte ordem: 12, 10, 9, 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2 e 1.

Este é o 31.º ano de vida da Stock Car, categoria criada em 1979 e hoje a mais importante do automobilismo brasileiro. O campeonato contou com 37 pilotos e 17 equipes, disputado em 12 etapas pelos autódromos de Interlagos, Curitiba, Rio de Janeiro, Santa Cruz do Sul, Campo Grande, Londrina, Brasília, Velopark em Porto Alegre, incluindo duas corridas de rua em Salvador e Ribeirão Preto, que foram os maiores sucessos de público da temporada (49 mil pessoas na capital baiana e 42 mil no primeiro ano da prova em Ribeirão). Este foi também o ano de estreia dos Mini Cooper na disputa do espetacular Mini Challenge, que faz parte das rodadas da Stock, assim como a Copa Montana, um tipo de segunda divisão da Stock, utilizando as picapes Chevrolet Montana.

Um ano de sucesso do automobilismo brasileiro, que ganhou duas novas categorias, idealizadas por Felipe Massa e apoiadas pela Fiat, que são o Trofeo Linea, disputado por vários dos pilotos da Stock Car, e a Fórmula Future, que tem o objetivo de abrigar os jovens recém-saídos do kart. O ano marcou também uma extraordinária evolução da GT-3 Brasil e uma Copa Porsche com organização e nível de disputa de primeiro mundo.

O sucesso, principalmente de GT-3 e Copa Porsche, inspirou duas outras marcas - Mercedes-Benz e Audi - a apoiarem duas novas categorias que vão surgir no ano que vem: um torneio com o Classe C da Mercedes e o A3 da Audi. Está sendo montado também um campeonato exclusivo para os fuscas Beetle, como já existe em 10 países, e que se chamará Bee Cup. E a grande notícia para 2011 é a volta do Campeonato Brasileiro de Marcas, com a participação de quatro montadoras. Uma deve ser a Volkswagen, que teve trajetória vencedora neste campeonato nos anos 70 e 80.

Encerro esta semana com uma alegria plena. Eu vi Paul McCartney. Não foi a primeira vez, mas guardo lembrança de todas, cada uma mais antológica do que a outra. Vimos, todos, um deus pela última vez. O talento, o carisma, a genialidade, a história de Paul McCartney enobreceram a humanidade. Minha alma saiu do Morumbi enriquecida por aquele momento apoteótico e por um recado que recebi via celular de minha filha, misturada no meio da multidão: "Obrigada por me ensinarem a amar Beatles desde que nasci"".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.