'Mais forte que nunca', Paraguai planeja ir pelo menos às quartas

Empate contra a Nova Zelândia garante a liderança do Grupo F. Agora, equipe enfrenta o Japão nas oitavas

, O Estado de S.Paulo

25 de junho de 2010 | 00h00

Com o empate sem gols com a seleção da Nova Zelândia, ontem, o Paraguai saiu do estádio Peter Mokaba, em Polokwane, como o primeiro colocado do Grupo F, algo inédito em sua história. Agora, a seleção comandada pelo argentino Gerardo Martino vai enfrentar o Japão, na próxima terça-feira, em Pretória, pelas oitavas de final.

Após a partida, Martino disse que a equipe não vai se contentar apenas com a classificação para a segunda fase. "Superar as oitavas seria a melhor classificação da história do Paraguai, mas não vamos nos contentar apenas com isso", declarou, mostrando a mesma confiança de uma das estrelas do time, o atacante Roque Santa Cruz. "Vamos considerar nossa campanha como boa a partir das quartas de final", afirmou o atacante.

Sobre o próximo adversário, Martino destacou como ponto positivo o fato de conhecer melhor o estilo de jogo do Japão.

Apesar da classificação, o técnico disse que a equipe fez uma partida ruim contra os neozelandeses. "Temos de melhorar para continuar avançando."

Com ampla posse de bola, o Paraguai criava oportunidades, mas não conseguia furar a eficiente defesa neozelandesa. Do outro lado, mesmo precisando vencer para avançar, os All Whites preferiam não se arriscar e vão embora após o terceiro empate. Como consolo, saem invictos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.