Mais quatro atletas de Serra Leoa desertam de Jogos

A delegação de Serra Leoa nos Jogos da Commonwealth (Comunidade Britânica), que estão sendo disputados em Melbourne, perdeu mais quatro atletas, que desertaram da vila olímpica. Até agora, 11 atletas, o equivalente a metade da equipe do país, resolveram que não querem voltar para casa.Serra Leoa é um pequeno e pobre país da África ocidental que vive grave crise econômica, conseqüência de décadas de guerra civil. Nesta sexta-feira, os ciclistas Alhassan Bangura e Mohamed Sesay, ambos de 26 anos, telefonaram para o técnico para comunicar o desejo de ficar na Austrália após os Jogos."Eles conversaram com o técnico e disseram que não queriam voltar a Serra Leoa", explicou o porta-voz da delegação, Robert Green. Os boxeadores Gibrilla Kanu e Lie Kargbo deixaram a vila olímpica na quarta-feira. Outros seis atletas do atletismo (três homens e três mulheres) e um levantador de peso também estão desaparecidos. Green lamentou as deserções. "Viemos para os Jogos construir uma base esportiva para o futuro de Serra Leoa".Não é novidade: nos Jogos da Commonwealth de 2002, em Manchester, na Inglaterra, 21 dos 30 atletas de Serra Leoa desertaram. Nesta edição, também fugiram o corredor Mohammad Tawhidul Islam, do Bangladesh, e o pugilista Omari Idd Kimweri, da Tanzânia.O primeiro-ministro australiano, John Howard, disse nesta sexta que o governo vai analisar caso a caso os pedidos de asilo político - os atletas têm visto para ficar na Austrália apenas até o dia 26 de abril. Mas não quis dar muitas esperanças aos atletas. "Não damos asilo a quem abandona equipes esportivas, a menos que tenham razões muito poderosas", disse.DopingA organização dos Jogos da Commonwealth confirmou dois casos de doping de atletas indianos do levantamento de peso. Edwin Raju, que ficou em quarto na categoria até 56 kg, e Tejinder Singh, que desitiu da disputa até 85 kg antes da prova, deram positivo para o esteróide anabolizante stanozonol.A Índia já havia anunciado os resultados, mas a organização preferiu esperar os resultados dos testes de contraprova. O chefe da delegação indiana, H.J. Dora, que também é o presidente da federação local de levantamento de peso, disse que os atletas devem assumir a responsabilidade por seus atos. "Eles sabem que podem ser suspensos ou até mesmo banidos", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.